Get Adobe Flash player
Início

Mulheres da CSP-Conlutas e MML levam às ruas de SP ato de 8 de Março independente e de luta

“Ô, ô, ô Dória, como é que é, tu é prefeito inimigo de mulher”, foi com essa palavra de ordem, entoada por mulheres lutadoras, que na tarde desde quinta-feira (8), o Movimento Mulheres em Luta (MML) e a CSP-Conlutas ocuparam as ruas do centro de São Paulo. O ato do Dia Internacional das Mulheres cujo caráter era de independência dos patrões e dos governos reuniu trabalhadoras e trabalhadores de várias categorias e setores de luta contra as opressões.

Com concentração no Theatro Municipal, o ato contou com a participação em peso de trabalhadoras rurais vindas do campo, do Acampamento Capão das Antas e Cachoeira, interior de São Paulo, e das operárias de São José dos Campos e região e professoras de rede pública. Também participaram o Movimento Luta Popular e sindicatos filiados à Central.

 

O protesto se unificou com as professoras (res) municipais, que realizaram uma assembleia com milhares de trabalhadoras(es) em frente à Prefeitura de São Paulo. Ao final, em torno de 10 mil manifestantes pintaram de lilás as ruas de São Paulo, rumo à Câmara de Vereadores, com muito protesto e denúnciando o machismo e à exploração.

A integrante do MML Marcela Azevedo salientou a importância daquele ato. “Fizemos uma manifestação, um 8M independente dos patrões e dos governos que reuniu diversas categorias que levantou as bandeiras históricas das mulheres trabalhadoras, denunciando toda a violência machista e retirada de direitos que os governos vêm implementando. Finalizamos esse dia, colocando que ele é apenas o início das mobilizações de 2018 com as mulheres à frente, sem recuo. Nenhuma a menos, nenhum direito a menos”, disse. (Clique <aqui> para assistir)

Fonte: CSP-Conlutas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Solidariedade