Get Adobe Flash player
Início

Direção da Fundacentro fecha metade das unidades da instituição

A Fundacentro, instituição de pesquisa em Saúde e Segurança do Trabalhador (SST) vinculada ao Ministério da Economia, extinguirá as seguintes unidades: Centro Estadual do Rio Grande do Sul, Centro Estadual do Paraná, Centro Estadual do Espírito Santo, Centro Regional da Bahia, Escritório de Representação do Mato Grosso do Sul, Escritório de Representação de Campinas e Escritório de Representação de Santos.

Isso significa que metade das unidades será extinta. Como se pode falar em redução de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho se a Fundacentro diminuirá 50% da sua representatividade territorial no país, perdendo o alcance do olhar específico para os diferentes estados? A mesma preocupação ocorre em relação ao trabalho dos agentes públicos. Nos anos 1990, a Fundacentro chegou a contar com 410 servidores, atualmente são apenas 212. Nos próximos cinco anos a estimativa é que o quadro se reduza pela metade.

A direção da Fundacentro também publicou o estatuto e o regimento da instituição, sem que os textos fossem apresentados ou discutidos com os servidores, o Conselho Curador e a sociedade. As mudanças não levaram em conta o trabalho real e, mesmo com a publicação, muitos servidores não sabem de que forma desenvolverão suas atividades a partir do momento em que as mudanças forem efetivadas.  

Alguns cargos comissionados tiveram aumento na remuneração (Funções Comissionadas do Poder Executivo - FCPE). Por exemplo: o procurador-chefe da Procuradoria Federal, exercido por procurador da Advocacia-Geral da União – AGU, mesma carreira do presidente e da diretora da Fundacentro.

Outros problemas têm dificultado o funcionamento da instituição. Todos os terceirizados de apoio administrativo foram dispensados durante o ano, os últimos saíram em 31.10.2019. Há unidades sem serviços básicos, como limpeza. A sede da instituição está sem contrato de manutenção, há vazamentos e banheiros interditados, comprometendo as condições sanitárias, de segurança e de habitação.

Em 2015, o orçamento para pesquisa era R$ 5.200.000,00. Em 2019, o orçamento para pesquisa é R$ 2.076.429,00. Redução de 60%.

Não há diálogo nem transparência nas decisões da administração. Servidores das unidades descentralizadas tiveram que trocar de endereço sem diálogo prévio e sem possibilidade de opinar. Algumas unidades estão sendo obrigadas a se desfazerem de móveis, equipamentos e até livros. Os servidores, que se orgulhavam das bibliotecas da Fundacentro, estão sendo obrigados a encaixotar os livros, que serão doados a outras instituições. A sensação é de espanto e tristeza. São décadas de trabalho e dedicação desperdiçadas. É a memória e o conhecimento em SST que vão se perder.