Get Adobe Flash player
Início

Nota de repúdio do Sindsef-SP ao ataque do Ministro Paulo Guedes aos servidores públicos

O Sindsef-SP repudia veementemente a política de ataques do Governo Bolsonaro aos serviços públicos, expressa no sucateamento dos órgãos e na tentativa constante de desqualificar os servidores.
Como expressão dessa política o Ministro da Economia, Paulo Guedes, de maneira absolutamente repugnante e irresponsável, chamou os servidores públicos de parasitas. A declaração é um verdadeiro acinte e significa uma inversão de valores.
Parasita é quem suga, até causar graves danos, ao organismo onde está instalado. Essa definição remete a quem? Aos servidores públicos ou ao banqueiro Paulo Guedes, que sobrevive da exploração capitalista?
O insulto ocorreu durante uma palestra na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas, enquanto defendia a destruição dos serviços púbicos e a retirada de direitos do funcionalismo, ao apresentar a reforma administrativa, prevista de ser enviada ao Congresso Nacional nos próximos dias.
Enquanto buscava afagar o mercado financeiro, o ministro criticou a luta legítima dos servidores por reajuste salarial. Fez isso usando inverdades, como afirmar que o “funcionalismo teve reajuste 50% acima da inflação”. Mentira!
Consideramos a declaração um desrespeito aos trabalhadores, que enfrentam um ambiente de trabalho sucateado, salários congelados, metas de produtividades que acarretam adoecimento físico/mental e que, mesmo em número insuficiente, garantem o funcionamento da prestação dos serviços. Pior, são aqueles que, muitas vezes, de forma injusta são responsabilizados pelo descaso do governo com a população. 
É necessário observar que essas ofensas não se restringem aos servidores. Elas são pensadas para instaurar uma política de Estado Mínimo. Querem acabar com os serviços públicos da área da saúde, da educação, do meio ambiente, entre outros.  O objetivo é privatizar os serviços públicos essenciais oferecidos à população e deixar os brasileiros a mercê dos interesses do setor privado.
Quem são os parasitas? Bolsonaro escolhe ministros incompetentes para estar a frente do governo, ou, envolvidos em denúncias de  corrupção. E, talvez o mais grave, elege como ministro o banqueiro que implantou o modelo previdenciário de capitalização no Chile, cujo desfecho foi o empobrecimento sem precedentes dos trabalhadores chilenos.  
Parasita é esse governo irresponsável, que fomenta a violência contra os servidores públicos, para defender os interesses dos financiadores da sua campanha. 
Parasita é o governo que destila ódio e busca destruir a educação pública e as pesquisas, com constantes ataques a professores e estudantes. Um governo que não apresenta uma política sequer para combater o desemprego crescente no país.
Guedes com certeza deve ser chamado a responder criminalmente essa fala absurda, um verdadeiro assédio coletivo aos servidores públicos. Diversas entidades dos servidores estão analisando os possíveis enquadramentos penais cabíveis. O Sindsef-SP apoia essa iniciativa.
Não iremos aceitar estes ataques! Desde já chamamos o conjunto dos servidores a participarem da construção do 18/03, Dia Nacional de Greve Contra os Ataques do Governo Bolsonaro! Junte-se a nós nessa luta!