Get Adobe Flash player
Início

Se o governo não liberar os servidores e os terceirizados, o que nos resta é cruzar os braços e parar

 

Já é do conhecimento de todos que a pandemia, instalada no mundo, devido ao coronavírus, exige medidas urgentes e drásticas. A situação é extremamente grave. No Brasil, já foi inclusive decretado estado de calamidade pública.<--break- />

Porém, apesar da gravidade da situação e de, reiteradamente, o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde pedirem que as pessoas não saiam de suas casas, os governantes insistem em manter os órgãos públicos em funcionamento, uma medida irresponsável, que coloca em risco a vida dos servidores, trabalhadores terceirizados e da população usuária.

Para impedir a propagação do coronavírus, de forma efetiva, é necessário suspender todos as atividades que não sejam serviços essenciais. Ou seja, aqueles cuja interrupção pode causar danos irreparáveis, como o atendimento nas áreas de saúde e segurança. 

O Sindsef-SP enviou ofício aos órgãos públicos solicitando a dispensa de todos os trabalhadores. Muitos poderiam realizar suas atividades através do home office.  Buscando posicionamento de cada administrador, foram realizados inúmeros contatos. As respostas, em sua grande maioria, foram evasivas.

Os gestores se limitam a cumprir um decreto que libera somente aqueles que estão nos grupos de riscos e os responsáveis de estudantes menores de 10 anos. Medidas insuficientes para enfrentar esse vírus avassalador. 

Alguns setores até suspenderam o atendimento presencial ao público, mas obrigam os trabalhadores, que cumpriam essa função, a comparecerem ao local de trabalho para realizar tarefas internas. Em outros, organizaram funcionamento em sistema de revezamento. Como se a disseminação do vírus fosse obedecer a alguma escala de plantão. Vidas estão em risco!

O Departamento Jurídico do Sindsef-SP vai encaminhar uma Notificação/Requerimento  para os órgãos darem cumprimento integral a legislação vigente que trata do COVID-19 no prazo improrrogável de 24 horas, sob  pena da adoção das medidas cabíveis à  espécie. 

O Sindsef-SP solicita aos servidores  dos  órgãos, onde a legislação não vem sendo observada, para formalizarem seus pedidos/solicitações junto aos órgãos e encaminhem copias ou fotos para  o sindicato, através do email: jurídico@sindsef-sp.org.br, anexando os documentos e a denúncia das situações. 

Se os governantes e gestores dos órgãos não atenderem o pedido do sindicato, o que nos resta é chamar a categoria a cruzar os braços e decretar greve. Agora é pela vida dos trabalhadores!  

Qualquer decisão diferente contribui para a propagação do vírus. Muitos locais já registram funcionários com suspeita de contágio, o que deixa os demais em uma situação de grande angústia, pois além de correr o risco de contágio, ainda podem levar o vírus para dentro de seus lares.   

Aqui no Brasil temos a possibilidade de ter aprendido com o que outros países passaram e não cometer os mesmos erros. Manter as pessoas em casa é a medida mais eficaz para retardar a disseminação do coronavírus. 

São Paulo segue sendo o estado com mais vítimas dessa pandemia. Os governos municipal e estadual estão fechando o comércio, parques públicos, até transportes públicos vão deixar de circular, medidas que visam impedir aglomeração e deslocamento da população. 

Não podemos mais esperar! O momento é agora!