1º de maio | Vamos à luta em defesa da previdência pública, rumo à greve geral!

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

O Sindsef-SP convoca os servidores a também se somarem a este momento histórico. Venham todos defender seus direitos! Vamos juntos derrubar essa Reforma da Previdência!

O ponto de encontro será junto aos balões e bandeiras da CSP-Conlutas!

Amanhã, 1° de Maio – Dia do trabalhador, o Brasil vai ser palco de importantes protestos em defesa dos direitos, empregos e contra a Reforma da Previdência.

Em São Paulo, as Centrais Sindicais realizarão um histórico dia de luta, representado por um grandioso ato unificado, a partir das 10h, no Vale do Anhangabaú, no centro paulista. 

Entre as ações acertadas pelas centrais haverá a divulgação durante o ato do 1° de Maio de um calendário de mobilizações, que incorporará o dia 15 de maio, dia de greve nacional dos professores e trabalhadores da Educação, como um dia de luta que deverá contar com a participação de outras categorias para fortalecer a data.

Essa atividade será o esquenta para a Greve Geral, cuja data será divulgada no Dia do Trabalhador.

Plenárias nos estados também compõem a proposta de ações desse período que promete ser de muita mobilização até a Greve Geral.

A continuidade de distribuição do abaixo-assinado contra a Reforma de Bolsonaro também será tarefa central nos próximos dias.

A iniciativa é inédita. Pela primeira vez as dez centrais sindicais estarão juntas em um mesmo local para realizar os atos de 1° de Maio. Além do ato que acontecerá no Vale do Anhangabaú, região central da capital paulista, em outros estados, também ocorrerão mobilizações locais.

Vamos à luta! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.