Coordenação das entidades de SP discute sobre a Campanha Salarial 2012

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram


 


Na tarde de terça-feira (07/02), no auditório do Sintrajud, foi realizada a segunda reunião da Coordenação das entidades que representam os Servidores Públicos Federais no Estado de São Paulo. Na pauta estavam temas como Campanha Salarial e informes sobre a situação dos servidores federais no estado.


Participaram deste encontro: CSP-Conlutas, Sintrajud, Sindsef-SP, Sinsprev-SP/Fenasps, Sintufscar, Sindfaz, Sintunifesp, Sinasempu-SP, Anseaf e Assipen.
O primeiro ponto da reunião foi apresentação e informes das entidades. A luta pela jornada de 30h esteve presente em várias falas. Certamente um ponto comum nas reivindicações dos servidores.
Outro destaque foi o ataque aos servidores. O governo de Dilma tem jogado duro, tentando acabar com o direito de greve e adotando uma política de congelamento de salários, antes mesmo de conseguir êxito na aprovação do PL 549 (congela os salários por 10 anos).
O cenário aponta várias dificuldades que precisam ser contornadas. Os participantes avaliam que é importante avançar e fortalecer a construção da unidade. Este debate está sendo feito em diferentes fóruns, como reuniões de diretoria, conselhos deliberativos e assembleias de base. A categoria tem se mostrado disposta a atuar em conjunto.


Lançamento da Campanha
Os participantes consideram necessário enviar uma delegação de São Paulo para a atividade de Lançamento da Campanha Salarial 2012, marcado para o dia 15 de fevereiro, quarta-feira. Na ocasião ainda ocorre a retomada da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público.
No dia 16, quinta, o Fórum Nacional das entidades volta a se reunir na sede da Condsef. Já, a reunião da Coordenação das Entidades de São Paulo está agendada para o dia 28 de fevereiro. O Objetivo é fazer uma avaliação do lançamento da campanha e definir ações para organizar as demais atividades que já foram definidas.
 


Eixos da Campanha Salarial
Entre as principais reivindciações estão a política salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações; a retirada de projetos que tramitam no Congresso Nacional e prejudicam os servidores; a paridade entre ativos e aposentados; o cumprimento de acordos firmados com o governo; e a supressão do artigo 78, da LDO, que define o prazo até 31/08, para encaminhar Projetos de Lei que reestruture carreira e conceda qualquer tipo de reajuste.



Calendário
15/02 – Lançamento da Campanha Salarial, em Brasília.
03/03 – Seminário Nacional da CNESF
04/03 – Plenária Nacional da CNESF
13 a 16/03 – Jornada de Lutas nos estados
28/03 – Marcha Unificada em Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.