Greve no IPEN vai continuar

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

Esta semana mais um setor da base do Sindsef-SP aderiu ao movimento nacional em prol da campanha salarial dos servidores públicos federais. Os servidores do IPEN (instituto Pesquisas Energéticas e Nucleares) estão de braços cruzados desde o dia 13 de agosto, segunda-feira.

Em assembleia de avaliação do movimento, realizada hoje (16), cerca de 180 servidores decidiram manter a greve até a próxima terça-feira (21).  Antes, no dia 20, ocorre uma reunião com o Ministério do Planejamento e o Fórum de C&T, na pauta está o plano de carreira.

Uma nova asembleia está marcada para o dia 21, às 9h, em frente à portaria sul, próxima ao bloco de odontologia da USP, para definir os rumos da paralisação.

MTE e SPU

Na Superintendência do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) ocorreu paralisação de 48h, nos dias 14 e 15/08.

Em outro setor, Secretaria do Patrimônio da União (SPU), os servidores realizaram na tarde de quarta-feira, 15/08, uma assembleia para definir sua forma de atuação no movimento nacional dos servidores públicos federais. Reestruturação do órgão foi principal tema da reunião. “Nossa reivindicação vai além de recomposição salarial, queremos a reestruturação do órgão”, lembrou um servidor.

A Secretaria do Patrimônio deixa de arrecadar por que não tem recursos humanos suficientes. Além disso, o péssimo estado das instalações físicas e os equipamentos obsoletos dificultam o desempenho do trabalho. 

Os servidores também questionam os acordos firmados e não cumprido pelo governo federal. Na próxima quarta-feira, 22/08, outra assembleia vai dar continuidade no debate.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.