Novembro Negro: Celebrar a Luta de Zumbi dos Palmares é dar visibilidade a luta do povo preto

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os meios de comunicação revelam cenas de preconceito e racismo. Em uma escola, jovens delinquentes brancos proferem ameaças de mortes a um aluno preto, compartilham mensagens com apologia ao nazismo e mensagens de ódio contra negros, nordestinos e mulheres.

A pele preta continua sendo alvo de constrangimentos, seja ao ser seguida nas lojas pelos seguranças, enquanto os vendedores a ignoram solenemente ou, o que é muito pior, quando é acusada, sem provas e, tantas vezes, privada de liberdade.

Loja é acusada de racismo após colocar manequim preto para ‘quebrar’ vitrine. — Foto: @ashleymlia/Reprodução/Twitter

A pele preta continua sendo alvo da violência policial! Em São Paulo, o uso de câmeras no uniforme da Polícia Militar contribuiu para reduzir a truculência, porém, o próximo governador tem como promessa de campanha retirá-la, o que para os pretos pode significar voltar ou não para casa, após uma batida policial.

Século 21! Ano 2022! A luta do povo negro segue pesada! No Brasil, nos últimos quatro anos, vivemos um forte retrocesso no quesito racial!

Ao destruir direitos básicos dos trabalhadores, Bolsonaro e seus aliados deram mostras incontestáveis da intenção de empurrar a população pobre e negra de volta para as senzalas. Não conseguiram! A resposta veio nas ruas e nas urnas, justamente daqueles que mais atacou durante o seu governo.

O povo negro e os oprimidos querem uma vida digna, sem violência, com comida no prato e respeito aos seus direitos.

A derrota de Bolsonaro trouxe uma sensação de alívio e de esperança. Respiramos fundo e nos preparamos para os embates que virão. Muda o governo, mas para o povo preto a luta segue sendo necessária. Enfim, a luta vai continuar!

Luta antirracista

O 20 de novembro marca o assassinato do líder Zumbi de Palmares e remete aos processos de lutas por libertação, às revoltas dos escravizados desde que pisaram nesse solo e destaca os papéis dos quilombos. Os assassinos de Zumbi e de outros heróis negros e negras, pretendiam, além de combater os negros rebelados, coibir a ação política progressista contra o regime daquela época.

Nos dias atuais os obstáculos mudaram, mas o processo de desumanização segue sendo parte da vida do povo negro. Nos últimos anos as nuances foram substituídas por ataques mais diretos, algumas vezes sucedidos de pedidos de desculpas e justificativas de estar em surto psíquico.

Afirmar a existência do racismo é pouco, pois ele se reflete no tratamento dado aos pretos: a violência obstétrica sofrida pelas mães negras, a criança na creche fantasiada de macaquinho pelas “tias”, ou o adolescente que pergunta ao policial antes de morrer: por que você atirou em mim? Os pretos não precisam que os brancos reconheçam o racismo. Ele existe e sabemos!

Manifestantes durante passeata até o Carrefour de Piracicaba — Foto: Júlia Silva

O racismo precisa ser combatido veementemente e precisa ser encarado como tarefa de toda a sociedade e não apenas da comunidade negra.

A luta contra toda forma de opressão e exploração é pautada pelo Sindsef-SP cotidianamente.
Basta de racismo e violência contra o nosso povo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Festival de Cinema Italiano

Até 4 de dezembro é possível assistir aos filmes do Festival de Cinema Italiano, gratuitamente, de forma on-line. São 16 filmes inéditos, produzidos entre 2021 e 2022 e exibidos em diferentes festivais pelo mundo, e 16 clássicos protagonizados pelas maiores divas da cinematografia italiana.

Imagem de rawpixel.com no Freepik

O COLETIVO precisa sair da U.T.I.

Grosso modo, a política é dividida “didaticamente” em esquerda, centro e direita. Não é a melhor metodologia de compreensão da realidade, pois “cabresta” o indivíduo a um quadrante do pensamento. Porém, para efeito da discussão que se pretende estabelecer, essa ideia já basta.

Comunicado importante

O 27º Congresso do Sindsef-SP foi adiado para os dias 03 e 04/03/2023. Saiba as datas para entrega de resoluções e eleição de delegados.

Povos indígenas em foco

Os povos indígenas estão em pauta no 26º festival Forumdoc.bh, voltado para documentários etnográficos. São disponibilizados cinco filmes na plataforma Itaú Cultural play até 22 de novembro