Pelo país, manifestantes vão às ruas na 20ª edição do Grito dos Excluídos

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

No Rio de Janeiro, ato é marcado por repressão; em São Paulo, ao menos 2 mil pessoas participaram da manifestação

 Neste domingo, 7 de setembro, dia dos tradicionais desfiles cívicos em comemoração à independência do Brasil,  milhares de pessoas protestaram em contraponto à data. Em diversas capitais do país, manifestantes participaram da 20ª edição do Grito dos Excluídos ocupando as ruas por uma verdadeira independência e por direitos.

 A denúncia da repressão policial e a criminalização dos movimentos sociais foram alguns dos temas abordados nessa edição. No Rio de Janeiro, o ato foi marcado pela truculência policial com três manifestantes detidos. Segundo informações da grande imprensa, a polícia usou gás de pimenta contra os militantes. A atividade contou com a participação de 200 pessoas, de acordo com a Polícia Militar.

Em São Paulo, cerca de 2 mil pessoas participaram da manifestação que percorreu as ruas da capital. A Praça da Sé foi ponto de concentração para a marcha que percorreu as avenidas Brigadeiro Luís Antonio e Paulista e teve seu término o Monumento à Bandeira, no Ibirapuera.

Em Belém (PA), a manifestação ocupou uma das principais vias da cidade, entre as quais, a Rua 9 de Janeiro, que tem sido palco das manifestações dos trabalhadores da construção civil, cuja greve geral foi deflagrada hoje.

Em Aracaju (SE), a atividade foi marcada por apresentações culturais da região. Com as palavras de ordem que exigiam o fim da violência contra as mulheres, reforma agrária e o fim da criminalização das lutas, milhares marcharam pelas ruas da cidade.

Em Fortaleza (CE), o protesto teve concentrações em três pontos da cidade: Otávio Bonfim, Canindezinho e Mondubim. Neste ano, assim como em todo o país, o tema fez referência às manifestações ocorridas em todo o Brasil, durante 2013.

Em Minas Gerais, cerca de 200 pessoas se concentraram no centro de Belo Horizonte. Integrantes de diversos grupos sociais e de sindicatos reivindicaram melhores condições de vida às pessoas em situação de rua. O ato também teve como mote o direito à moradia digna.

A CSP-Conlutas e suas entidades e movimentos filiados tradicionalmente participam dessas mobilizações pelo país, que são organizadas pelas pastorais operárias e movimentos sociais e populares.

Fonte: www.cspconlutas.org.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.