07 de Agosto – Dia Nacional de Mobilização! Fora Bolsonaro e Mourão!

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Centrais sindicais, partidos, entidades e movimentos que compõem a campanha “Fora Bolsonaro” definiram o 7 de agosto como o segundo Dia Nacional de Lutas e Mobilizações. Será um dia cercado de significados, pois, ao que tudo indica, nesta data, o Brasil deve atingir a terrível marca de 100.000 mortos por coronavírus! Isso sem contar com as subnotificações que, possivelmente, colocariam o Brasil em primeiro lugar em número de casos e de óbitos. Não resta dúvidas de que tudo poderia ter sido diferente! 

Muitos trabalhadores foram obrigados a sair de suas casas em busca do sustento, uma vez que o governo tratou a pandemia com descaso e não garantiu uma quarentena para valer, sustentada na garantia de renda, direitos e emprego. Ao contrário, aproveitou para atacar direitos dos trabalhadores e manter os lucros dos grandes capitalistas. Enquanto milhões ficaram sem emprego ou tiveram salários cortados, um levantamento recente da ONG Oxfam mostrou que, em plena pandemia, o patrimônio de 42 bilionários brasileiros cresceu US$ 34 bilhões ou mais de R$ 172 bilhões. É mais que o dobro dos R$ 88 bilhões do auxílio emergencial que o governo gastou até agora. 

Não podemos aceitar que isto continue! Lutar contra o Governo é lutar pela vida!

É preciso botar para fora Bolsonaro, Mourão e toda sua corja! O Sindsef-SP divulgará a programação de atividades para esta data! Junte-se a nós! Participe!

Mordaça, não!

Bolsonaro quer calar os servidores públicos! A Controladoria-Geral da União, publicou uma Nota Técnica onde ameaça acintosamente, com a possiblidade de instaurar processos disciplinares, àqueles que usarem as redes sociais pessoais para criticar as políticas adotadas nas repartições públicas. Esse documento, expressa a ofensiva do governo Bolsonaro, que tenta impedir a livre manifestação de pensamentos dos servidores públicos. Ele extrapola o campo institucional, quer impedir toda e qualquer crítica à política governamental. 

A CGU estabelece um nível de subordinação tão extenso que possibilita criminalizar qualquer tipo de publicação contrária à administração pública, ao chefe do Executivo e/ou ao Estado. O documento ainda redimensiona o caráter de repartição pública, que passa a invadir o espaço da vida privada do servidor. Uma verdadeira lei da mordaça! Já está sendo regulamentada a criação de comissões para monitorar as publicações nas redes sociais. Essa ação ocorre ao mesmo tempo em que a Advocacia-Geral da união é acionada pelo presidente da república para defender o direito à liberdade de expressão, dos perfis de seus apoiadores, e do próprio Bolsonaro, que mantém uma rede de desinformação nas mídias sociais. 

O servidor está diante de vários ataques com o intuito de enfraquecer seu histórico combativo de enfrentamento aos governos em defesa de seus direitos trabalhista, mas em especial, calar as denúncias de violações nos órgãos públicos.  O tema deve ser debatido pelo Fórum Nacional dos Servidores Federais. O departamento jurídico do Sindsef-SP vai acompanhar os desdobramentos e adotar todas as medidas cabíveis. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.