18º Congresso do Sindsef-SP

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

A preparação para o 18º Congresso do Sindsef-SP está na reta final. A atividade ocorre nos dias 14 e 15 de novembro, no hotel San Raphael, na capital paulista. O tema deste ano é “Avançar na unidade rumo a uma nova direção”.
Algumas mudanças aprovadas no último congresso passam a ser implementadas em 2013, como o fim dos delegados natos e a realização anual do evento. O objetivo é garantir maior participação da base nas decisões mais estratégicas do sindicato.

Dentre as campanhas centrais deste ano está à luta contra o assédio moral, cada vez mais presente na realidade dos servidores.

Os delegados também irão aprovar um plano de lutas para 2014, quando o movimento nacional deve voltar com força exigindo o atendimento de suas reivindicações.

Outra tarefa do Congresso do Sindsef-SP  é preparar a delegação para o grande debate sobre a desfiliação da CUT, que ocorrerá no final do ano  no XI ConCondsef.

Os delegados do congresso foram eleitos em assembleias nos locais de trabalho, realizadas durante o mês de setembro e outubro.

Programação
14/11, quinta-feira
15h – Início do Credenciamento
16h – Abertura (Fala das Entidades a Aprovação do Regimento Interno)
17h30 – Conjuntura e Plano de Lutas
19h – Mesa de Combate às Opressões
20h30 – Encerramento do 1° Dia

Dia 15/11, sexta -feira
9h – Balanço/Planos Movimento dos Federais/Intervenção Congresso da Condsef
13h – Almoço e encerramento do credenciamento
14h – Balanço e Planos da Diretoria do Sindsef-SP
16h – Prestação de Contas/Conselho Fiscal
17h – Assembleia Estatutária
18h – Encerramento dos Trabalhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.