20 de novembro – Dia da Consciência Negra | Ato no Masp, às 12h – Aquilombar as lutas com raça, gênero e classe

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

Novembro Negro pelo Fora Bolsonaro e Mourão; Contra a Ditadura e a Escravidão Moderna

Bolsonaro e sua equipe, ao destruir direitos básicos dos trabalhadores, dão mostras incontestáveis da intenção de empurrar a população pobre e negra de volta para as senzalas. A condução da pandemia, desemprego nas alturas, carestia e fome são alguns exemplos dessa política.

Agora, querem reduzir para 14 anos a idade mínima para trabalho formal, em qualquer atividade, uma proposta de 10 anos atrás, retomada pelo bloco de apoiadores de Bolsonaro. Ou seja, o governo se furta de apresentar uma proposta de salário mínimo decente, que cubra as reais necessidades da classe trabalhadora, para jogar nossos filhos no mercado de trabalho e completar a renda da família. Essa solução não queremos! Queremos salário digno, comida na mesa e filhos na escola! 

Enlutados e devastados pelas mais de 610 mil vidas perdidas, seguimos nos recuperando da barbárie, orquestrada com a intenção de matar parte da população. Um breve olhar, nos mostra que o povo negro – em especial, as mulheres e a juventude negra – compõe a parcela da classe trabalhadora mais atingida por essa e tantas outras mazelas. 

Um estudo realizado pela PUC-Rio, publicado em abril, relevou que enquanto 55% de negros morreram por covid, a proporção entre brancos foi de 38%. Quantas vidas poderiam ter sido salvas caso o governo tivesse investido na compra de vacinas um pouco antes? Ou, ainda, se o respeito a ciência tivesse norteado as políticas de combate ao vírus? Infelizmente não saberemos. 

Com a chegada da vacina aos braços dos brasileiros, os números de novos casos e, consequentemente, de mortes por Covid-19 desaceleraram até caírem drasticamente. Se a pandemia parece estar controlada, o mesmo não acontece com a grave crise econômica que enfrentamos, reflexo da brutalidade e perversidade de um capitalismo, cada vez mais, selvagem e também do caráter reacionário do governo Bolsonaro e de diversos setores da sociedade.

Pesquisa realizada em 2019, pela Rede de Observatório da Segurança, registrou algo que os pretos já sabem, nossos corpos são o alvo da violência policial. As balas da polícia acham tantos corpos pretos, por considerarem esses corpos como excedentes e descaráveis. Será essa a retomada da política de branqueamento do Brasil, já que, sinceramente, a impressão que temos é que foi liberado o extermínio da população negra?

Fora Sérgio Camargo

A entrega do comando da Fundação Palmares – espaço de preservação da história do povo negro – ao capitão do mato, Sérgio Camargo, é reveladora. Camargo nega a existência de racismo no Brasil, ataca as religiões de matrizes africanas, não reconhece o Dia da Consciência Negra, pede o fim do movimento negro e persegue servidores da Fundação.

Além disso, revogou uma instrução normativa de 2018, que estabelecia termos para licenciamento e proteção ambiental de terras quilombolas, deixando, esses territórios desprotegidos contra a sanha de empreiteiras, madeireiros e latifundiários. Camargo acumula um arsenal de desserviço ao povo negro. Essa importante instituição não pode ficar a mercê de um capitão do mato. 

Neste 20 de novembro vamos unir nossa força, nossa indignação e marchar pela vida e por direitos! Contra a Ditadura e a Escravidão Moderna. Pelo Fora Bolsonaro, Mourão e Sérgio Camargo!” 

Vamos Aquilombar as Lutas com Raça, Gênero e Classe!

O 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra, completa meio século

A data surgiu como contraponto a celebração do 13 de maio, onde contam que a abolição foi “concedida” pela princesa Isabel, ignorando as lutas travadas, até ser oficializado o fim da escravidão.
O 20 de novembro marca o assassinato do líder Zumbi de Palmares e remete aos processos de lutas por libertação, às revoltas dos escravizados desde que pisaram nesse solo e destaca os papéis dos quilombos.  Os assassinos de Zumbi e de outros heróis negros e negras, pretendiam, além de, combater os negros rebelados, coibir a ação política progressista contra o regime daquela época.
Por isso devemos reivindicar e celebrar o 20 de novembro – Dia da Consciência Negra, data que expressa nossa força e resistência.
Em 2021, 50 anos se passaram, e essa luta segue sendo necessária. No último período, enfrentamos um governo que, abertamente, adota posturas racistas e preconceituosas. Combinar a luta antirrascista com a luta pelo fora Bolsonaro e Mourão é fundamental.
Marcha da periferia em São Paulo | Ditadura e Escravidão nunca mais! Não voltaremos para as senzalas nem para os porões da ditadura!
O Quilombo Raça e Classe e a CSP-Conlutas São Paulo, através do setorial de negras e negros, estão participando da construção da Marcha da Periferia, confira as datas, horários e locais em cada região.
Região Leste
Data: 21/11/21
Local: Terminal Velho de Cidade Tiradentes – Pça. do 65
Horário: 15 horas
Região Sul
1. Local: Metro Capão Redondo 
Data: 20/11/21
Horário: 10 horas
2. Local Ocupação Jardim da União
Data: 27/11/21
Local: Rua Antônio Burlini, 100
Horário: 10 horas
Região Oeste
Brasilândia 
Data: 05/12
Local: Circo Escola – V. Penteado (Av. Padre Orlando Garcia, 35,
Vila Penteado)
Horário: 10h30
Fim do genocídio da juventude negra, em defesa de empregos, contra a fome e por reparações históricas

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.