29/05 é Dia de Paralisação contra o PLC 30/2015 e as MPs 664 e 665

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

No dia 22/04, a Câmara aprovou o Projeto de Lei 4330/04 (agora PLC 30/15), que possibilita a terceirização das atividades-fim das empresas. Já na última quarta-feira, 06/05, foi aprovada a Medida Provisória 665/14, que dificulta a obtenção do seguro-desemprego, do abono salarial e do seguro-defeso.

As votações têm mostrado que a luta contra os ataques aos trabalhadores e o ajuste fiscal não terá resultado positivo nos limites do parlamento. Diante disso, o Dia Nacional de Paralisação, marcado para 29 de abril tem muita importância. A data, definida em reunião realizada na mesma fatídica quarta-feira, 06/05, em São Paulo, está sendo convocada pelas centrais sindicais CSP-Conlutas, CTB, CUT, Intersindical-CCT, UGT e Nova Central .

As bandeiras de luta são contra a terceirização no país, as medidas provisórias 664 e 665, que atingem o seguro-desemprego, o auxílio-doença e aposentadorias, o ajuste fiscal e em defesa dos direitos e da democracia.

Há consenso entre essas entidades de que para barrar os ataques do governo e do Congresso Nacional aos direitos trabalhistas é preciso colocar os trabalhadores na linha de frente dessa batalha. Para isso, a unidade dos que representam a classe trabalhadora é fundamental.

Está agendado para o mesmo dia 29/05 a reunião do Conselho Deliberativo de Entidades da Condsef e o Dia de Mobilização pela auditoria cidadã da dívida, em frente às sedes  do Branco Central em todo o Brasil. No dia seguinte haverá a Plenária da Condsef.

A aprovação da MP 665/14

A Medida Provisória 665/14, uma das duas MP’s que Dilma editou no final do ano passado, foi aprovada por um placar apertado de 252 votos a favor contra 227 contra no Plenário da Câmara dos Deputados.

De acordo com o texto aprovado, o trabalhador terá direito ao seguro-desemprego se tiver trabalhado por pelo menos 12 meses ininterruptos nos 18 meses anteriores à demissão. Antes, o trabalhador precisava de apenas seis meses.

Além da MP 665, está na fila para votação a MP 664/14, que efetiva mudanças nas regras de instituição de pensão por morte para os servidores públicos, entre outros benefícios sociais, atinge especialmente os servidores recém-ingressados e que possuem filhos pequenos ao criar carências.

Plenária ampliada

Na próxima segunda-feira, 11/05, está sendo convocada uma plenária com a participação, além das centrais sindicais, dos movimentos sociais e populares para organizar ações conjuntas no dia 29. A reunião ocorrerá na sede da UGT, em São Paulo, às 10h.

 

 

*Com informações da CSP-Conlutas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.