Mostra de Cinema Russo

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

A 8ª edição da Mostra Mosfilm de Cinema Soviético e Russo ocorre de 14 a 18 de dezembro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo/SP, com exibição gratuita de 16 filmes.

Entre as exibições, há clássicos como “O Idiota” (1958), dirigido por Ivan Pyryev, baseado na primeira parte do romance de Dostoievski, e “Rua Mercantil Nº 3” (1927), do diretor Abraham Room, considerado uma das obras-primas do cinema-mudo soviético, que será exibido com trilha sonora composta e executada ao vivo pela pianista Dudah Lopes.

Além de assistir aos filmes, quem for à Cinemateca poderá ver a exposição “As Matryoskhas”, de Nadia Ramirez Starikoff. No sábado, 17/12, também ocorre a Feira do Leste Europeu com comidas, bebidas e artesanato típicos da região.

Programação

Quarta – 14/12
19h30 – “Vladivostok”

Quinta – 15/12
16h – “Uma Banda Divertida”
18h – “Os Órfãos”
20h – “Libertação – Parte 1 e 2”

Sexta – 16/12
14h30 – “Ilia Muromets”
16h20 – “O Idiota”
18h30 – “Libertação – Parte 3”
21h – “Amor e Pombos”

Sábado – 17/12
15h – “Rua Mercantil nº 3”
16h30 – “Enfermaria nº 6”
18h15 – “Libertação – Parte 4 e 5”
21h15 – “Os Ciganos Vão para o Céu”

Domingo – 18/12
15h – “Andrei Rublev”
18h15 – “Moscou Não Acredita em Lágrimas”
21h – “Vladivostok”

Cinemateca Brasileira
Largo Senador Raul Cardoso, 207 — Vila Mariana

Colaboração do Coletivo de Comunicação do Sindsef-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.