Solidariedade Internacional: Todo apoio à greve geral da Argentina contra os ataques do presidente Javier Milei

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram
Trabalhadores e trabalhadoras da Argentina fazer greve geral. Foto: Luis ROBAYO | AFP

O Sindsef-SP manifesta total apoio aos trabalhadores argentinos, que desde dezembro estão em luta, realizando manifestações, assembleias populares, panelaços e que hoje, dia 24/01, estão convocando a realização de uma greve geral contra os ataques do novo presidente, o ultraliberal e reacionário Javier Milei.

Milei publicou um decreto que representa um dos maiores ataques à classe trabalhadora e à população argentina, atendendo aos interesses dos empresários, com a desculpa de que irá recuperar a economia do país. Tenta impor uma reforma trabalhista revogando leis, atacando o direito de greve e os acordos coletivos de trabalho.

O presidente argentino liberou a lucratividade ao extremo dos planos de saúde e os juros bancários. As medidas aumentaram a inflação e levaram uma terrível perda no poder de compra dos salários em apenas um mês de governo.

Outras medidas de Milei buscam garantir poderes extraordinários sobre diversas áreas: economia, segurança, finanças, problemas fiscais, energia, tarifas e outros setores. Ele quer poderes absolutos para governar com mão de ferro, de forma ditatorial, já que tem minoria no Congresso.

O presidente argentino também abre mão da soberania do país. Suas medidas permitem que os capitalistas estrangeiros possam comprar terras sem restrições. Permite a privatização das empresas públicas.

Diante de ataques tão brutais, nesta quarta-feira, 24/01, acontece uma jornada internacional em apoio à greve geral argentina, com realização de atos nas embaixadas em vários países: Bolívia, Estados Unidos, França Uruguai, Alemanha e Espanha, incluindo o Brasil. Atos já estão sendo convocados nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Em São Paulo, a CSP-Conlutas está convocando o ato, junto com outras entidades, hoje, às 17h, em frente ao Consulado da Argentina, na Avenida Paulista, 2313.

Os argentinos estão mostrando como devemos enfrentar a ultradireita: na ação direta, nas ruas, com greve geral. É fundamental, nesse momento, a solidariedade internacional à luta do povo argentino, para que sejam vitoriosos e que a luta lá iniciada se espalhe para todos os países vizinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

PGFN: Política de Reajuste Zero do governo Lula desafia servidores

O Sindsef-SP realizou assembleia com os servidores administrativos da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), no dia 21/02. Luís Genova, Secretário Geral da entidade, avaliou que na política econômica do governo Lula, o que se destaca é a amarga realidade de um reajuste zero para os servidores públicos.