Atendimento do Seguro Desemprego na SRTE/SP chega a cerca de 500 por dia

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os trabalhadores que buscaram à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/SP), em 23/10, para o atendimento de Seguro Desemprego, encontraram o local superlotado, o saguão foi insuficiente e a fila chegou a  ocupar a calçada em frente ao órgão.

Normalmente este serviço funciona através de um agendamento prévio, mas só há disponibilidade para a segunda quinzena de março de 2015. Para evitar esta longa espera, os trabalhadores que estão com decisões judiciais autorizando o pagamento do benefício, passam por uma triagem e entregam a documentação que será analisada depois por um servidor. Porém este procedimento aumenta a demanda de trabalho dos servidores, que chegam a realizar cerca de 500 atendimentos por dia.

Apesar da iniciativa, os usuários continuam descontentes e com frequência descontam sua frustração nos funcionários que estão na linha de frente tentando atendê-los.

Buscando esconder a superlotação no saguão do Seguro Desemprego, o superintendente do órgão transferiu os atendimentos de Seguro por decisão judicial para o 2º andar. Mas esta mudança é uma inútil tentativa de mascarar a situação. Pois, independente do andar onde os usuários serão atendidos, são os servidores que terão que se desdobrar para analisar os milhares de processos que se acumulam no órgão.

Vale destacar, que o desmonte do órgão e o número reduzido de servidores dificultam o atendimento desta demanda. No seguro desemprego trabalham apenas sete servidores, que lidam, na maior parte do tempo, com um sistema inoperante.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.