Bancários do Maranhão repudiam declaração do novo técnico da seleção brasileira

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

O Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA) repudia a declaração infeliz do novo treinador da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari. Em entrevista coletiva, nesta quinta-feira (29), o treinador desrespeitou a categoria bancária em sua reapresentação como técnico do Brasil para a Copa de 2014.

De modo arrogante, o treinador afirmou que “se (o jogador) não quer pressão, então é melhor não jogar na seleção. É melhor ir trabalhar no Banco do Brasil, sentar no escritório e não fazer nada”. Conhecido por suas atitudes agressivas e frases polêmicas, Scolari mostra ignorância sobre a relação de trabalho nos bancos.

Para conhecimento do técnico, mensalmente, cerca de 1.200 bancários são afastados de suas funções, por razões de saúde, vítimas do assédio moral e da pressão pelo cumprimento de metas abusivas impostas pelas instituições financeiras, inclusive o Banco do Brasil.

Pelo sucesso da seleção na Copa de 2014, o SEEB-MA espera que o treinador esteja atualizado no quesito futebol, pois sobre relações trabalhistas, Felipão deu mais uma bola fora e se mostra totalmente despreparado.

Sindicato dos Bancários do Maranhão

Unidade, Resistência e Luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.