Base do Sindsef-SP na luta pela Campanha Salarial

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Servidores da Secretaria de Patrimônio da União (SPU/SP) e da Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego (SRTE/SP-MTE) cruzaram os braços na última terça-feira, 26/06. A paralisação de 24 horas, realizada na capital, foi um protesto contra a política salarial do governo Dilma.

Desde cedo servidores administrativos da Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego (SRTE/SP-MTE) ocuparam a calçada em frente ao nº 109, da Rua Martins Fontes, com faixa e distribuindo carta à população explicando os motivos da paralisação e pedindo o apoio da sociedade para justas reivindicações da categoria.

A pauta específica pede imediata equiparação com a tabela salarial do INSS, implantação da jornada de 6 horas diárias em dois turnos ampliando o horário de atendimento à população, concurso público para todos os cargos e fim do assédio moral.

SPU
Os trabalhadores da SPU aproveitaram o clima de festa junina e fizeram um ”Arraiá das Reivindicações” exigindo Plano de Carreira específico, realização de concurso público e instalações e equipamentos adequados para o melhor desempenho do trabalho. Além, é claro, das reivindicações da campanha salarial.

A manifestação surtiu efeito imediato. No fim da tarde, a Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento (SRT/MPOG) confirmou o agendamento de uma reunião para o dia 28, próxima quinta-feira. “O agendamento desta reunião é muito importante, pois até então as reivindicações da SPU vinham sendo ignoradas”, avaliou o diretor do Sindsef-SP e servidor da SPU, Glauber Girotto.

A agitação no prédio do Ministério da Fazenda continuou na parte da tarde. Por volta das 15 horas, centenas de Analistas-Tributários da Receita Federal ocuparam o saguão do prédio. Neste momento os servidores da SPU se juntaram ao grupo para fortalecer a mobilização dos companheiros, que deram mais um alerta ao governo federal sobre a insatisfação da categoria quanto aos rumos da negociação salarial.

 

Notícias relacionadas

Servidores do Incra aprovam greve

Mobilização no IBAMA e avaliação da Cúpula dos Povos são discutidas em assembleia no órgão

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.