Campanha Salarial – Fórum dos SPFs pressiona e governo inicia processo de negociação

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Nesta quinta-feira, 23/04, o Fórum de Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais se reuniu com o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça. Neste encontro, foi definido a metodologia e um calendário de reuniões  para discutir a pauta da campanha salarial.

A proposta do secretário era de apenas três encontros, realizados mensalmente. Mendonça queria ainda que a próxima reunião ocorresse somente após certas definições sobre o ‘ajuste fiscal’, como a tramitação das medidas provisórias 664 e 665 (que cortam direitos trabalhistas e previdenciários) e os contingenciamentos orçamentários decretados pela presidente Dilma Rousseff (PT) – o que justificaria jogar a segunda rodada para final de maio.

Mas a pressão dos representantes da categoria forçou a antecipação para o dia 14 de maio. Neste encontro serão debatidos reivindicações como data-base, direitos de negociação coletiva, direito de greve (regulamentação da convenção 151 da OIT) e liberação de dirigentes sindicais. Além disso, também entrará em pauta a proposta de reajuste dos benefícios, que são contabilizados pelo governo como verba de custeio e, por isso, não dependem de margem orçamentária para novas despesas com pessoal.

Segundo, o servidor Saulo Arcangeli, dirigente da Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e MPU), que participou da negociação representando a Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas),  o dia 14 deverá ser marcado por novas manifestações nacionais da categoria.

Com informações do Luta Fenajufe e Andes/SN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.