Campanha: Vote na Fifa como a pior empresa do mundo!

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram


Até 20 de janeiro é possível votar na Fifa como a pior empresa do mundo. A votação online dura apenas dois minutos. A instituição já está na 2ª colocação do ranking entre as piores e cada vez mais próxima da 1ª colocada. (Clique aqui e vote!)

 

 

 

A votação da Fifa como pior empresa do mundo cresceu após a reunião realizada no dia 14 de dezembro entre a CSP-Conlutas e diversas organizações do movimento social em prol da campanha. A Central, que o Sindsef-SP é filiado, vem divulgando nas redes sociais e reforça o chamado para que todos participem.

 “Nobel” da vergonha – A votação é referente ao prêmio Public Eye Awards, criado em 2000. Conhecido como o “Nobel” da vergonha corporativa mundial, que apresenta uma lista com indicações das piores empresas do mundo, escolhida por voto popular em função de problemas ambientais, sociais e trabalhistas. O resultado é apresentado durante o Fórum Econômico Mundial, na cidade suíça de Davos.

Desta vez, a Fifa, entidade que administra o futebol mundial e organiza a Copa do Mundo, disputa entre as oito companhias a votação de 2014. A entidade presidida por Joseph Blatter é acusada de incentivar violações de direitos e mau uso de dinheiro público nos países que recebem o megaevento, em favorecimento de empresas parceiras e com anuência de governos locais. (Confira o Ranking completo das colocadas até o momento).

 

Acesse o site http://publiceye.ch/pt-pt/case/fifa/ 

 

*Com informações da CSP-Conlutas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Avaliação acerca da compatibilidade da deficiência do candidato com as atribuições do cargo deverá ser realizada durante estágio probatório

A 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) reformou a sentença para garantir o direito de um candidato ao cargo de policial rodoviário federal, aprovado na condição de pessoa com deficiência (PcD), a permanecer no concurso, caso tenha sido aprovado em todas as etapas do certame, e que a União determine a nomeação e posse da parte autora, no prazo de 60 dias.