Carta ao Presidente do IBAMA, Eduardo Fortunato Bim

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

(Desprezado) Seu Eduardo Bim

Não iremos lhe chamar de Senhor e muito menos de Sua Excelência, mesmo porque você não merece e de excelente não tem nada!

Tomamos conhecimento de seus comentários sobre o IBAMA divulgados pela mídia, num evento realizado em São Paulo em meados de abril deste ano, no qual fez críticas ácidas aos funcionários do órgão, aos quais chamou de “loucos”, com ênfase para com os seus servidores.

Ainda bem que no mesmo evento você se auto definiu como psicopata. É mesmo uma das características dos loucos e psicopatas enxergarem o mundo e as pessoas que os cercam a sua imagem e semelhança. Na verdade, há uma diferença enorme!

Nós felizmente temos a mente sadia e somos servidores do Estado, não do Governo medíocre que você representa. Você é passageiro, nós não. Ainda teremos tempo para tentar reverter todas as imbecilidades que vocês fizeram. Você, o Salles da boiada e os outros asseclas que destruíram uma imagem que o Brasil construiu ao longo de décadas. Graças à desastrosa gestão (indigestão) de vocês passamos de protagonistas ambientais para párias mundiais. Enorme desserviço.

É inaceitável que você, Seu Bim, há três anos e meio na presidência do IBAMA ainda não tenha conhecido a competência técnica da equipe sob seu comando. Tentar desqualifica-la nos parece má fé ou pura incompetência sua enquanto gestor. Aliás, é uma afronta desconhecer a qualificação técnica exemplar do quadro dessa casa. Você o faz por não compactuar com os nossos princípios éticos e morais e por ser um pau mandado desse desgoverno. Atirar pedras nos servidores para esconder a sua incompetência é uma grande sacanagem, Seu Bim!

Vocês vêm se prestando a, na prática, servir setores que atuam irregularmente contra o meio ambiente, como o setor madeireiro, o garimpo, a grilagem de terras da União, a banda podre do agronegócio. O preço disso será e já está sendo cobrado pela comunidade internacional e pior, quem pagará a conta será a já tão desigual sociedade brasileira.

Vocês conseguiram em quase três anos e meio destruir órgãos federais de meio ambiente. Será, com certeza, tarefa árdua para os próximos governos fazer a tão desejada recomposição. Felizmente em outubro deste ano teremos eleições.

Mas você pode ter certeza de que terá que responder por todos os prejuízos que causou ao país, e pelas mazelas que praticaram durante esse terrível período de desgoverno. Nós não. Já somos considerados como um foco de resistência a tudo de mal que vocês impuseram ao Brasil, e certamente lutaremos até o final de nossas carreiras para reverter esses imensos danos.

 

Não nos despedimos e com você nunca seremos cordiais.

 

São Paulo, 09 de maio de 2022

 

Associação dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente e do PECMA do Estado de São Paulo

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal do Estado de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Festival de Cinema Italiano

Até 4 de dezembro é possível assistir aos filmes do Festival de Cinema Italiano, gratuitamente, de forma on-line. São 16 filmes inéditos, produzidos entre 2021 e 2022 e exibidos em diferentes festivais pelo mundo, e 16 clássicos protagonizados pelas maiores divas da cinematografia italiana.

Imagem de rawpixel.com no Freepik

O COLETIVO precisa sair da U.T.I.

Grosso modo, a política é dividida “didaticamente” em esquerda, centro e direita. Não é a melhor metodologia de compreensão da realidade, pois “cabresta” o indivíduo a um quadrante do pensamento. Porém, para efeito da discussão que se pretende estabelecer, essa ideia já basta.

Comunicado importante

O 27º Congresso do Sindsef-SP foi adiado para os dias 03 e 04/03/2023. Saiba as datas para entrega de resoluções e eleição de delegados.

Povos indígenas em foco

Os povos indígenas estão em pauta no 26º festival Forumdoc.bh, voltado para documentários etnográficos. São disponibilizados cinco filmes na plataforma Itaú Cultural play até 22 de novembro