Conselho Deliberativo define estratégias para o próximo período

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

Na última sexta-feira (25), o Sindsef-SP reuniu o Conselho Deliberativo da entidade, para debater temas de vital importância para a vida dos servidores.

A atividade foi aberta com um informe sobre a situação nos locais de trabalho. Os participantes relataram um quadro de verdadeiro sucateamento do serviço público, com redução de verbas e esvaziamento de vários orgãos. Na DRT, por exemplo, algumas agências correm o risco de serem fechadas por falta de servidores. Neste ponto foi dado informe sobre a reunião do Sindsef-SP com a Superintendência do MTE, para pedir esclarecimentos e medidas que solucionem estes problemas.

Em seguida houve um debate sobre a Conjutura Nacional, com ênfase no problema da corrupção. Neste ponto, os conselheiros assistiram à apresentação de Érika Andreassy, representante do Ilaese (Instituto Latino Americano de Estudos Sócio-Econômicos). Para os servidores ficou bastante claro, que além dos recursos destinados os serviços públicos serem escassos, uma boa parte deles ainda é desviada para corrupção. Um dado bastante alarmante é que, segundo a Fiesp, nos últimos 10 anos foram desviados dos cofres públicos R$ 720 bilhões, ou seja, um custo anual de 2,3% do PIB. Estes recursos poderiam ser investidos na melhoria dos serviços prestados à população. Aqui os servidores entenderam como os problemas políticos gerais do país interferem diretamente em suas vidas.

O ponto alto da reunião foi o debate sobre a Campanha Salarial 2012. Paulo Barela, membro da Executiva Nacional da CSP-Conlutas, fez um relato sobre as últimas mesas de negociação com o Governo. Como conclusão, os representantes dos servidores da base do Sindsef-SP decidiram fortalecer a mobilização em torno à Campanha Salarial, participando da próxima marcha em Brasília no dia 05/06 e, caso permaneça a intransigência do Governo, que se recusa a conceder reajustes, realizar todos os esforços para construir a greve unificada do funcionalismo a partir do dia 11 de junho.

Ao final da reunião, foram dados informes gerais sobre a participação do Sindsef-SP no Congresso da CSP-Conlutas e na Marcha Contra a Homofobia. Também foi feita uma apresentação sobre as readequações  realizadas na estrutura da entidade para melhor atender as necessidades dos servidores.

Os representantes dos servidores sairam da reunião do Conselho Deliberativo com uma série desafios e tarefas colocados para o próximo período.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

PGFN: Política de Reajuste Zero do governo Lula desafia servidores

O Sindsef-SP realizou assembleia com os servidores administrativos da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), no dia 21/02. Luís Genova, Secretário Geral da entidade, avaliou que na política econômica do governo Lula, o que se destaca é a amarga realidade de um reajuste zero para os servidores públicos.