Cultura: IPHAN paraliza atividades por 2 horas

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram
Os servidores lotados na superintendência do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) do estado de São Paulo realizaram assembleia, seguida de paralisação deduas horas no dia 29 de agosto, em apoio a greve do Ministério da Cultura.
A categoria, também, quer receber os atrasados da gratificação de desempenho individual, referente aos anos de 2009 e 2010. Além disso, cobram a implantação da retribuição de titulação para os servidores de nível superior (com um percentual crescente de gratificação para pós-graduados, mestres e doutores) e a gratificação de qualificação para os de nível médio (com um percentual crescente de gratificação para técnicos e graduados). Estas reivindicações deveriam estar em vigor desde 2008, segundo o acordo assinado em 2007 e não implementado.  Desde fevereiro de 2010 foi encaminhado um projeto de Lei foi pelo MinC (Ministério da Cultura) ao Planejamento.
Hoje o Secretário Geral da Condsef, Josemilton da Costa, participa de reunião com o ministério do Planejamento, às 13 horas, em Brasília.
Na próxima quinta-feira, 1º de setembro, será realizada uma assembleia decisiva para a construção, ou não, de uma greve.
Além das reivindicações já citadas, os trabalahdores exigem: realização de concursos públicos; retirada do PLP 01/2007 e do PLP 549/2009 que limitam os reajustes salariais dos servidores públicos da União até 2019.
As mobilizações no MinC começaram no dia 13 de agosto em vários estados e No Rio de Janeiro, os servidores se encontram em greve desde o dia 22 deste mês.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.