Dia Nacional de Mobilização no DNIT

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Há quase cinco anos os servidores do DNIT reivindicam a reestruturação de sua tabela salarial e a equiparação salarial com as agências reguladoras. De 2008 até hoje as negociações com o governo não têm avançado. Mas, os trabalhadores não desanimam. Amanhã, 25, será um Dia Nacional de Mobilização no órgão.

A categoria não firmou acordo com o governo no ano passado. Agora, busca a reabertura do processo de negociações, o atendimento da pauta antiga e também daquela unificada do funcionalismo público. Com este objetivo, no dia 17 de abril houve uma reunião entre a Condsef e a Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (SRH/MPOG).

Mais uma vez, o MPOG informou que a demanda ainda está distante dos parâmetros que o governo tem trabalhado. Ainda assim, foi definida uma agenda de encontros para tratar das reivindicações do setor. A primeira reunião está marcada para o dia 14 de maio, às 10 horas. A expectativa é que aconteçam mais três encontros até o dia 15 de junho, prazo final para consolidar uma proposta definitiva.

De acordo com o diretor do Sindsef-SP, André Hernandes, existe um clima bastante positivo na superintendência regional de São Paulo para começar um movimento reivindicatório forte, porque a insatisfação é grande.

A atividade de mobilização começa a partir das 9h com um café da manhã na entrada do DNIT. Em seguida, acontecerá uma vídeo conferência entre diversas superintendências regionais. Na sede colegiada, representantes dos estados vão debater acerca da abertura da negociação com o governo Dilma e discutir os próximos passos para a mobilização da categoria. 

O DNIT localiza-se na Rua Ciro Soares de Almeida, 180, Vila Maria. 

 

 

 

Por Lara Tapety

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.