Dias 19 e 20: Seminário e lançamento da campanha salarial 2013 marcam calendário de luta dos servidores

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os servidores públicos federais já prepararam seu calendário de mobilizações para o próximo período. Entre as principais atividades está o lançamento da campanha salarial e o Seminário sobre Negociação Coletiva e o Direito de Greve.

A campanha salarial será lançada no dia 20 de fevereiro. Os servidores irão realizar um ato político em frente ao MPOG (Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão) cujo objetivo será cobrar uma audiência com os gestores do ministério para exigir o início das negociações sobre a pauta de reivindicações – protocolada em janeiro.

Um dia antes do lançamento da campanha, 19 de fevereiro, haverá o Seminário sobre Negociação Coletiva e Direito de Greve voltado para todas as esferas do funcionalismo.

Pela manhã, o evento contará com apresentação de painel sobre Negociação Coletiva cujos convidados são representantes do DIEESE, DIAP e AGU. À tarde, o seminário discute o Direito de Greve com apresentação de painel das Centrais Sindicais. A CSP-Conlutas comporá a mesa junto com outras entidades. Em ambas as mesas de debates, haverá espaço para o plenário explanar suas opiniões sobre os respectivos temas. O Seminário será realizado no auditório Nereu Ramos na Câmara dos Deputados.

Para o membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Paulo Barela, o seminário servirá para preparar os trabalhadores contra os ataques que o governo Dilma pretende disparar às conquistas dos servidores públicos. “Vamos dar subsídios para que os servidores entendam o que está por vir e de como combater as ameaças de retirar direitos”, disse.

Segundo Barela, o seminário irá também contribuir para que nesta campanha salarial os servidores entendam o que vão defender e quem irão enfrentar. “O governo quer retirar o direito de greve e temos que fazer pressão contra isso. Diferente da CUT, CTB, Força Sindical e outras centrais, a CSP-Conlutas  compreende que não há correlação de forças na conjuntura e no Congresso Nacional para disputar um projeto de regulamentação de greve que favoreça os servidores. Esse é o terreno deles, o nosso é nas ruas, na mobilização e nas greves”, explicou.

Por isso, o dirigente reiterou a importante de se organizar uma campanha forte em defesa do direito de greve. “Precisamos debater o que isso representa, pois só podemos nos defender entendendo a fundo o que representa mais esse ataque. Também vamos mostrar aos governantes, no lançamento da Campanha, a força dos servidores  e de nossa unidade”, salientou.

Para Barela é importante que os trabalhadores dos demais setores também se unam à luta dos servidores contra esse e demais ataques. “A Marcha em Brasília no dia 24 de abril cumprirá esse papel. Somos contra o ACE e queremos a revogação da reforma da previdência de 2003, aprovada com o voto dos mensaleiros.Vamos todos levantar nossas bandeiras em comum e lutar juntos”, finalizou.

Um folder eletrônico com detalhes do Seminário e do lançamento da Campanha Salarial será elaborado e amplamente divulgado nos sites e redes sociais.

 

Fonte: CSP-Conlutas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.