Diversos setores da base do Sindsef-SP aprovaram parar no dia 11/07

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os Servidores Públicos Federais (SPFs) não poderiam ficar de fora dos protestos previstos para 11 de julho – Dia Nacional de Greves, Paralisações e mobilizações de rua. Trabalhadores de diversos setores do Sindsef-SP aprovaram parar por 24 horas, nesta quinta-feira, entre eles do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), Fundacentro, Ibama, INCRA, IPEN (Instituto de Pesquisas Energética e Nucleares), MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) e SPU (Secretaria do Patrimônio da União).

Outras categorias da base do Sindsef-SP realizam assembleia no decorrer do dia de hoje, 10/07, para definir a forma de atuação no Dia de Luta.

No DNIT, a greve nacional iniciada em 25 de junho segue forte e atinge todos os estados.  Entre as principais reivindicações estão reestruturação da tabela salarial e equiparação com as agências reguladora.  A negociação destas demandas se arrasta desde 2009 e até hoje não teve avanço.

Na pauta geral dos SPFs, referente a campanha salarial em curso, a categoria pede antecipação das parcelas negociadas no ano passado, quando a forte greve dos servidores quebrou a política de reajuste zero do governo Dilma.

Grande manifestação
A CSP-Conlutas e demais centrais sindicais estão convocando uma grande manifestação conjunta na Avenida Paulista, com concentração a partir do meio dia no vão livre do MASP.

A coluna dos servidores públicos federais contará com setores da Administração Pública, Judiciário, Banco Central, Professores e Técnicos Administrativos das universidades, IBGE, INSS, Saúde, entre outros.

Os metroviários reafirmarão em assembleia hoje à noite o indicativo de aderirem ao movimento com uma paralisação de 24 horas.

O dia 11 de julho, Dia Nacional com Greves, Paralisações e mobilizações de rua está sendo organizado pelas principais Centrais Sindicais do país como CSP-Conlutas, Força Sindical, CUT,  CSB, UGT e CGTB.

A ANEL (Associação dos Estudantes Livres), o MPL (Movimento Passe Livre), o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), o MST (Movimento dos Sem-Terra) e o Luta Popular também fortalecerão o Dia Nacional de Luta.

Nossas reivindicações:
– Reajuste salarial digno e valorização dos servidores públicos;

– Paridade entre ativos e aposentados;

– Anulação da reforma da previdência de 2003;

– Contra a privatização dos hospitais universitários e da previdência do servidor;

– Não aos leilões do petróleo e ao projeto de lei que cria fundações privadas no setor público (PLP 092/09).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.