É possível vencer! Passe livre é aprovado em Natal

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram


Principal eixo de reivindicações da onda de protestos de junho, o passe livre estudantil era contestado por uma parcela significativa da população como algo impossível. Entretanto, o dia 1º de outubro comprovou o contrário. 

Em Natal, foi aprovado o projeto de lei do Passe-livre (nº98/2013), da vereadora Amanda Gurgel do PSTU, em parceria com os vereadores Sandro Pimentel e Marcos Antônio, do PSOL. O projeto que institui a gratuidade no transporte público da cidade para todos os estudantes foi elaborado pela Assembleia Nacional de Estudantes – Livre, durante as jornadas de junho, quando explodiram as manifestações por todo o país. A aprovação aconteceu por unanimidade – 28 votos a favor e uma ausência na sessão – na última quarta-feira (2/10) depois de muita luta da juventude potiguar.

Os estudantes foram às ruas, realizaram mobilizações junto a trabalhadores com batucada e palavras de ordem, fizeram vigília e tomaram conta da Câmara para acompanhar a votação e defender o Passe Livre. Após a aprovação do projeto, houve uma passeata no Centro de Natal. Foi o primeiro passo, porém, ainda será necessária a sansão da lei pelo prefeito. Por isso, a vereadora Gurgel fez um chamado para que toda a juventude permaneça mobilizada.

O Passe livre estudantil já é uma realidade em 14 cidades brasileiras. Agora, chegou a vez da capital do Rio Grande do Norte conquistar este direito, que vai garantir a manutenção dos estudos de milhares de jovens. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.