Entidades levam reivindicações do Espaço Unidade de Ação ao Palácio do Planalto

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram


Representantes de entidades que compõe do Espaço Unidade de Ação participaram nesta terça-feira (29) de uma audiência com o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Os dirigentes apresentaram a pauta de lutas definida no Encontro Nacional, que aconteceu em março em São Paulo e reuniu mais de 2500 pessoas.

O documento apresenta reivindicações e denúncias acerca de temas como a destinação de dinheiro público para negócios privados nas obras da Copa do mundo, a necessidade de valorização e recuperação da perda dos aposentados, reversão do processo de privatizações, A luta contra diversas formas de discriminação – machismo, homofobia, transfobia, racismo -, A defesa e regularização das terras indígenas e quilombolas, O fim da criminalização dos movimentos sociais e desmilitarização da polícia e fim da violência policial contra manifestantes e, em particular, contra a população negra e das periferias.

O ministro Gilberto Carvalho reconheceu a importância das temáticas trazidas pelas entidades e sinalizou a possibilidade de se estabelecer uma discussão com o Espaço Unidade de Ação em torno de algumas questões. Outros pontos, como o problema relacionado aos territórios indígenas e quilombolas já vêm sendo acompanhados pela Secretaria Geral, segundo o ministro.

Carvalho comentou ainda que está prevista uma grande campanha de conscientização, para o período da Copa do mundo, contra o racismo, turismo sexual, o tráfico de pessoas e abuso infantil.

José Maria de Almeida, coordenador da CSP-Conlutas, cobrou do governo, em nome das entidades, celeridade e eficácia na solução dos problemas trazidos na pauta. De acordo com Almeida, as reivindicações levadas à Secretaria Geral da Presidência vêm de diversos movimentos sociais, sindicais e populares, que representam uma grande parcela da sociedade que está desassistida pelo Estado. “Boa parte da população vê a velocidade, eficiência e investimentos que foram aplicados às obras da Copa e querem o mesmo empenho do governo em resolver seus problemas e necessidades básicas, causados pelo total abandono e desmonte dos serviços públicos essenciais como saúde, educação, transporte e acesso à moradia”, comentou.

O representante da CSP-Conlutas ressaltou a importância de uma atuação eficaz do governo para garantir o direito de livre manifestação e organização à população e rechaçou a falta de reação do Executivo federal frente à escalada de violência policial e criminalização dos movimentos sociais, com o crescimento da repressão e judicialização das greves e perseguição de lideranças. “Não é possível que este governo não reabra uma discussão sobre o papel das polícias, que surgiram na época da ditadura como uma política de Estado. A polícia militar no Brasil já matou mais pessoas que a guerra no Iraque”, denunciou.

Greves


Durante a reunião, os dirigentes rechaçaram a postura intransigente do governo em não abrir negociação efetiva em torno da pauta dos servidores federais.

Representantes da Fasubra e do Sinasefe, em greve, solicitaram a Carvalho a atuação junto aos ministérios da Educação e Planejamento no sentido de abrir um canal de diálogo com os docentes e técnico-administrativos da Educação Federal.

O diretor do ANDES-SN, Josevaldo Cunha, cobrou ainda do ministro que interceda junto ao MEC para que a solicitação de audiência apresentada pelas entidades do setor da educação – ANDES-SN, Fasubra e Sinasefe – seja atendida.

Zé Maria ressaltou ainda a necessidade pressão da Secretaria Geral nas negociações com os trabalhadores Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel) que realizam paralisação e enfrentam a criminalização do movimento paredista e perseguição ás lideranças.

Gilberto Carvalho se comprometeu a interceder junto ao Mpog e MEC na tentativa de que as entidades sejam recebidas. 

O ministro chefe da Secretaria Geral da Presidência da República disse buscaria atender à alguns dos pleitos apresentados, mas julgou necessário um novo encontro para aprofundar a discussão com as entidades. Uma nova reunião está prevista para após o término da Copa do mundo.

 

FONTE: ANDES-SN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.