Entidades realizam atividade para dar visibilidade ao Dia Latino-Americano e Caribenho de Luta da Mulher Negra

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

O CAS- Coletivo de Artistas Socialistas e a USIH – Associação de Imigrantes Haitianos realizarão, com apoio da CSP-Conlutas, uma apresentação musical nesta sexta-feira, 24, que antecede o Dia Latino-Americano e Caribenho de Luta da Mulher Negra.

A atividade apresenta o artista Paulo Pompéia, em exibição com voz e violão, e terá comida e bebida típica haitiana. Será um momento de celebrar a garra da mulher negra e reafirmar a luta cotidiana, reforçando os laços entre as mulheres brasileiras e haitianas, assim como todas as companheiras ao redor do mundo, maiores alvos da violência sexual, policial e do subemprego.

Atividade cultural visa arrecadar fundos para associação de imigrantes haitianos. A apresentação começa às 19h e seguirá até as 22h, na sede da CSP-Conlutas Estadual de SP, na Rua Afonso Celso nº 1033, próximo ao metrô Santa Cruz.

Informações sobre o artista:

Paulo Pompéia Ator, diretor teatral, diretor musical, cantor, instrumentista, apresentador, produtor e animador cultural.Na TV fez Escrava Anastácia, Mãe de Santo, Brasileiras e Brasileiros, Perigosas Peruas,O Mapa da Mina, Castelo Ratimbum, Casa de Irene, Uma Certa Maria José,Telecurso 2000, Malhação, Turma do Gueto.Excursionou com a cantora Alaíde Costa em sua tournée por diversos países da Europa.

Fonte: CSP-Conlutas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.