Fórum das entidades se reúne para definir ações para o próximo período

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

O Fórum das entidades do funcionalismo federal irá realizar, amanhã terça-feira (26), uma reunião em Brasília para dar continuidade ao plano de mobilização e definir ações para o próximo período.

A CSP-Conlutas e a CONDSEF acertaram, em reunião realizada no SINTRASEF na quarta-feira (20), orientar as entidades de base para realização de novas atividades conjuntas na próxima semana, ou seja, construir manifestações dos servidores federais em greve nos estados nos dias 27 e 28 de junho.

A Central também irá propor a realização de uma série de atividades para o próximo período, dentre essas um acampamento do funcionalismo em greve, em Brasília, na primeira semana de julho como parte do processo de pressão sobre o governo para forçar o atendimento de suas reivindicações. Por outro lado, as entidades já trabalham com a perspectiva de realização de uma nova marcha nacional, com previsão de ocorrer ainda no mês de julho.

“Todas essas iniciativas serão para mostrar ao governo a força e unidade de nosso movimento. Até o momento o governo não apresentou nenhuma proposta para a categoria que está revoltada com tamanho descaso. Por isso, vamos intensificar as mobilizações nos estados. Chamamos a todos os servidores a fazerem parte dessa luta”, enfatizou o membro da CSP-Conlutas, Paulo Barela.

 

GREVE NOS OUTROS ESTADOS

Na última sexta-feira (22), os servidores do Ministério da Agricultura em Brasília decidiram aderir à greve iniciada na segunda-feira (18). Pelo Brasil outros nove estados (Pará, Sergipe, Amapá, Mato Grosso, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso do Sul e Maranhão) estão com atividades paradas em diversos setores como Funasa, Incra, Ministério da Saúde, Trabalho e Emprego, Agricultura, Justiça, Funai, Area Ambiental, Cnem, entre outros. No Incra a greve já atinge 2/3 das unidades em todo o Brasil.

É importante a mobilização dos servidores para modificar o cenário das negociações que seguem sem qualquer avanço no Ministério do Planejamento. Até o momento, nenhum setor possui propostas concretas apresentadas pelo governo. O objetivo dos processos de paralisação é exatamente o de conseguir estabelecer avanços e fazer com que o governo atenda às reivindicações dos trabalhadores.

Esses segmentos somam-se aos técnicos administrativos que iniciaram greve no dia 11, aos docentes e funcionários dos Institutos Federais de Ensino, cujo movimento iniciou no dia 13 e aos docentes das Universidades Federais que já estão parados há mais de um mês. Os servidores ampliam o movimento grevista e mostram a força da unidade do funcionalismo público federal.

Com informações da CSP-Conlutas e Condsef

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.