Governo mantém discurso de austeridade na retomada das negociações

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

O secretário de Relações do Trabalho no Serviço Público, Sérgio Mendonça, foi apresentado nesta quarta-feira (7), em reunião que marcou a retomada das negociações com os servidores públicos. Representantes das 30 entidades que compõem a Campanha Salarial 2012 estiveram presentes e discutiram a pauta de reivindicações, protocolada no Ministério do Planejamento.

O tom de austeridade fiscal permaneceu no discurso dos interlocutores que compõem a equipe de Mendonça. Portanto, os desafios da categoria devem continuar. O Planejamento sinalizou na reunião de ontem que não pretende avançar nos debates antes de agosto. Diante disto, a agenda mobilização dos servidores deve permanecer inalterada e fortalecida.

Entre os dias 12 e 16 de março ocorre a Jornada de Lutas, com uma ação centralizada em todo o Brasil no dia 15. A jornada vai culminar numa grande Marcha à Brasília, no próximo dia 28. O objetivo principal é mobilizar os servidores nos estados e preparar a categoria para uma possível greve na 2ª quinzena de abril, caso o governo realmente não apresente propostas concretas para a categoria.

 

POLÍTICA SALARIAL

Na reunião desta quarta-feira também ficou definido que o primeiro encontro para consolidar a retomada as negociações será realizado na próxima semana, dia 14. Serão abordados pontos como data-base e outras questões ligadas à política salarial, que é o tema central da reunião.

Todos devem permanecer atentos às movimentações e preparados para pressionar pelo atendimento das demandas colocadas.

Com informações da Condsef

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.