Governo retoma as mesas de enrolação

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram


Servidores do Incra/SP realizaram, ontem (14/08), uma mobilização para intensificar a pressão sobre o governo. No mesmo dia foram retomadas as reuniões com o Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG) para dar respostas às reivindicações da categoria.

Em greve há mais de 30 dias, os servidores do Incra/SP (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) decidiram paralisar completamente o órgão nessa terça-feira, 14/08. Dezenas de trabalhadores ocuparam a calçada do Instituto Agrário e realizaram um forte piquete impedindo o acesso ao prédio. A paralisação foi de 100%.

Reuniões no Planejamento

Foram duas reuniões com o Secretário de Relações do Trabalho, Sergio Mendonça, nesta terça-feira (14). Na primeira, marcada para as 10h, o tema foi a Lei 12.277/10, que criou tabela salarial diferenciada para cinco cargos de nível superior do Executivo (Estatístico, Engenheiro, Geólogo, Economista, Arquiteto). Em outro momento, ás 14h, o secretário recebeu representantes dos servidores do Incra e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Porém, não houve avanços. Mais uma vez, os representantes do governo foram para as mesas de negociações sem nenhuma proposta. Indignados, servidores do Incra e do MDA se recusaram a deixar a sala onde foram recebidos por  Sergio Mendonça.

Marcha em Brasília e ato público em São Paulo

A quarta-feira, 15/08, vai ser marcada por mobilizações intensas. Os SPFs novamente ocuparão as ruas de Brasília e dos estados do país para buscar o atendimento de suas reivindicações. Uma grande marcha reúne diversos segmentos do funcionalismo, além disso, desde o inicio da semana um acampamento foi montado na Esplanada.

Em São Paulo, será realizado um ato público visando fortalecer a manifestação que ocorre na capital federal. A atividade unificada será a partir das 14 horas, em frente ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), localizado na Rua Francisca Miquelina, nº123. Representantes de variadas categorias do serviço público estarão presentes junto aos trabalhadores, que vão levar faixas e bandeiras com suas reivindicações.

Reivindicações

Vale ressaltar, que esta greve, vai além de uma campanha por reivindicações salariais de uma categoria. Na verdade, é uma batalha entre um segmento da classe trabalhadora e o governo de Dilma Rousseff (PT). Não há dúvida de que essa é uma luta contra o próprio plano econômico do governo, que segue intransigente e se recusa em ceder às reivindicações dos servidores federais. Ao mesmo tempo, a unidade e extensão da greve e os métodos radicalizados adotados durante as ações que são realizadas todas as semanas, mostram que os servidores têm clareza das dimensões desse embate.

Com informações da CSP-Conlutas

Foto 1 (Marcello Casal Jr/ABr) – Servidores públicos federais em greve durante reunião de negociação, no Ministério do Planejamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.