Justiça para Moïse | Basta de racismo, xenofobia e genocídio negro – Ato no Masp, em 05/02, às 10h

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

As Centrais Sindicais brasileiras se reuniram nesta quinta-feira (3) e aprovaram a convocação nacional dos atos marcados para este sábado (5), que clamam por justiça ao refugiado congolês Moïse Kabagambe, de 24 anos, no Rio de Janeiro, assassinado a pauladas no último 24 de janeiro.

Na capital paulista o ato será no Masp (Av. Paulista, 1578), às 10h. 

A nota que convoca os protestos sintetiza a ação brutal praticada pelos assassinos: “em um só ato o racismo enraizado em nossa sociedade, o sentimento de xenofobia que cresce com o avanço da extrema-direita e os efeitos nefastos da política neoliberal que retirou direitos trabalhistas e suprimiu investimentos na área social.”

“As Centrais Sindicais se somarão neste contundente pedido por justiça. Em cada região, chamamos a somar e fortalecer os atos que estão sendo organizados”, afirma o texto.

A CSP-Conlutas se solidariza com os familiares de Moïse e todos os refugiados e migrantes, sobretudo os negros e mais marginalizados neste sociedade capitalista. “Em cada região, é preciso somar-se aos atos organizados que acima de tudo reivindicam a defesa da vida de trabalhadoras e trabalhadores, além de um mundo sem racismo, xenofobia e exploração”, reforça o integrante da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas Atnágoras Lopes.

Leia:

Atos exigem justiça após brutal assassinato do refugiado congolês Moïse Kabagambe

Confira os atos já marcados:

RIO DE JANEIRO (RJ)

Rio de Janeiro – 5/2 – 10h – Quiosque Tropicália (Av. Lucio Costa, Posto 8, Barra da Tijuca)

SÃO PAULO (SP)

São Paulo – 5/2 – 10h – Vão Livre do MASP (Av. Paulista)

Araraquara – 5/2 – 10h – Em frente a Prefeitura de Araraquara

Carapicuíba – 5/2 – 10h, No calçadão, em frente ao Banco do Brasil

Pindamonhangaba – 5/2 – 9h – Cascata

Santos – 5/2 – 10h – em frente à Igreja do Embaré

São José dos Campos – 5/2 – 10h – Praça do Sapo

São José do Rio Preto – 5/2 – 10h, Júpiter Olímpico Rio Preto

Taubaté – 5/2 – 10h – Praça Santa Terezinha

AMAPÁ (AP)

Macapá – 4/2 – 18h – Escadaria do Teatro das Bacabeiras

BAHIA (BA)

Salvador – 5/2 – 10h – Concentração em frente a casa Jorge Amado, Largo do Pelourinho

CEARÁ (CE)

Redenção – 5/2 – 15h – UNILAB Campus Liberdade

DISTRITO FEDERAL (DF)

Brasília – 5/2 – 10h – Concentração: Palácio do Itamaraty

GOIÁS (GO)

Goiânia – 4/2 – 9h – Em frente à Sec. de Segurança Pública, (Av. Anhanguera).

MATO GROSSO (MT)

Cuiabá – 5/2 – 9h – Praça da Mandioca, em frente ao Centro Cultural Casa das Pretas

MARANHÃO (MA)

São Luis – 5/2 – 9h – Praça Deodoro

MINAS GERAIS (MG)

Belo Horizonte – 5/2 – 10h – Praça Sete

Divinópolis – 5/2 – 10h30 – Centro de Comércio Popular / Camelódromo

PARÁ (PA)

Belém – 6/2 – 9h – Praça da República

PARANÁ (PR)

Curitiba – 5/2 – 17h – Largo da Ordem (Em frente Igreja do Rosário)

PERNAMBUCO (PE)

Recife – 5/2 – 16h – Shopping Boa Vista

RIO GRANDE DO NORTE (RN)

Natal – 5/2 – 9h Calçadão da Cidade Alta, em frente à C&A

RIO GRANDE DO SUL (RS)

Porto Alegre – 5/2 – 10h – Arcos da Redenção

Santa Maria – 5/2 – 16h – Praça Saldanha Marinho

TOCANTINS (TO)

Palmas – 5/2 – 18h – Praça dos Girassóis

AMAZONAS (am)

Manaus – 4/2 – 18h – Largo de São Sebastião

EXTERIOR

Berlim (Alemanha) – 5/2 – 14h – Embaixada do Brasil
Londres (Reino Unido) – Embaixada do Brasil – 5/2 – 12h
Nova York (Estados Unidos) – 5/2 – 11h – Barclays Center, Brooklin

Leia abaixo nota na íntegra da Centrais Sindicais:

Nota das Centrais Sindicais: Dia 5/2 vamos à luta por justiça por Moïse Kabagambe!

O assassinato brutal do congolês Moïse Kabagambe, de 24 anos, no Rio de Janeiro (RJ), no dia 24 de janeiro, sintetiza em um só ato o racismo enraizado em nossa sociedade, o sentimento de xenofobia que cresce com o avanço da extrema-direita e os efeitos nefastos da política neoliberal que retirou direitos trabalhistas e suprimiu investimentos na área social.

O jovem africano que trabalhava sob contratação precarizada, recebendo apenas por diárias foi morto com chutes, socos e ao menos 30 pauladas porque por cobrar pagamentos atrasados no quiosque Tropicália, em que prestava serviço.

Em protesto contra o crime, e pela rápida e transparente apuração e punição aos envolvidos, a comunidade congolesa realizará neste sábado, dia 5, uma manifestação, em frente ao quiosque onde Moïse foi morto, na praia da Barra da Tijuca, a partir das 10h. A família da vítima participará do ato. Em São Paulo, o ato será às 10 horas, no vão livre do MASP. Também haverá protestos em Salvador, Belo Horizonte, Belém, além de outras cidades.

As Centrais Sindicais se somarão neste contundente pedido por justiça. Em cada região, chamamos a somar e fortalecer os atos que estão sendo organizados.

Nos solidarizamos com os familiares de Moïse bem como com todos os imigrantes, sobretudo aqueles que buscam segurança e inserção social no Brasil. Vamos à luta por justiça por Moïse Kabagambe. Basta de racismo, xenofobia e genocídio negro!

São Paulo, 03 de fevereiro de 2022

Sérgio Nobre, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores)

Miguel Torres, presidente da Força Sindical

Ricardo Patah, presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores)

Adilson Araújo, presidente da CTB (Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do

Brasil)

Oswaldo Augusto de Barros, presidente da NCST (Nova Central Sindical de

Trabalhadores)

Antonio Neto, presidente da CSB (Central de Sindicatos do Brasil)

Atnágoras Lopes, Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas

Edson Carneiro Índio, secretário geral da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

José Gozze, presidente da Pública, Central do Servidor

Emanuel Melato, coordenação da Intersindical Instrumento de Luta

Fonte: CSP-Conlutas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.