Ministério do Trabalho vira alvo de investigações

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

Mais um ministério no governo Dilma está em crise. Desta vez, o Ministério do Trabalho é alvo de investigações por fazer parte de um esquema de extorsão semelhante aos ocorridos no Turismo e no Esporte. Segundo apurou uma revista semanal, assessores do ministro Carlos Lupi, todos ligados ao PDT (partido que ele preside), são acusados de cobrar propina para liberar pagamentos a ONGs suspeitas de irregularidades.

Relatos de dirigentes das ONGs Instituto Êpa, do Rio Grande do Norte e Oxigênio, do Rio de Janeiro, revelam que as entidades contratadas pelo Trabalho para treinamento tinham os repasses de recursos bloqueados. Segundo eles, o coordenador-geral de Qualificação, Anderson Alexandre dos Santos e Weverton Rocha – hoje deputado federal –, exigiam propina entre 5% e 15% do valor do contrato para que voltassem a receber recursos.

No último sábado (5), Lupi afastou o assessor Anderson dos Santos. Em nota divulgada pela assessoria, o ministro informa que o afastamento de Santos valerá pelo tempo que durar as investigações. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que a situação na pasta deverá ser discutida nesta segunda-feira (7).

 

Desde o início do governo Dilma Rousseff, cinco ministros já deixaram os cargos após suspeitas de irregularidades. Antonio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Wagner Rossi (Agricultura) e Pedro Novais (Turismo) saíram dos respectivos ministérios, seguidos por Orlando Silva (Esporte), que no fim de outubro deixou a chefia da pasta, atingido por denúncias que envolviam justamente convênios com ONGs.

Com informações do portal IG e Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Cartão do Dia dos Aposentados

Feliz Dia dos Aposentados

O Sindsef-SP parabeniza os aposentados e as aposentadas pelo seu dia e reafirma seu compromisso na luta por paridade entre ativos, aposentados e pensionistas, pelo cumprimento do Estatuto do Idoso, contra os ataques à previdência e pela recomposição salarial.

Crítica: filme Noites de Paris

Nesta crítica, saiba sobre o filme Noites de Paris, que se passa em 1981. No ano de eleições, comemorações se espalham pelas ruas e há um ar de esperança e mudança.