Moção de repúdio ao anúncio da nomeação do novo superintendente do Incra/SP

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

As entidades representativas dos servidores do INCRA, em São Paulo, encaminhando deliberação de assembleia geral conjunta, realizada em 06/06/2012, vêm manifestar repúdio ao anúncio da nomeação do Sr. Wellington Diniz Monteiro para o cargo de Superintendente Regional, noticiado pela Agência Estado no dia 04/06/2012.

O anúncio da nomeação pela mídia causou indignação nos servidores, tendo em vista o compromisso do Presidente do INCRA em dar continuidade às ações de fortalecimento institucional, garantindo a participação dos servidores.

Lembramos que entre os anos de 2003 e 2011, o INCRA/SP foi conduzido pelo Sr. Raimundo Pires Silva, cuja gestão foi marcada pela falta de compromisso com os princípios da administração pública. Exemplos disso foram a condenação por improbidade administrativa e a Operação Desfalque da Polícia Federal, que levou à sua exoneração em junho de 2011.

No mesmo período, o Sr. Wellington Diniz acompanhou de perto os desmandos e o clientelismo político do então Superintendente. O mesmo foi alertado pelos servidores dos riscos à política agrária no estado de São Paulo, tamanha a dimensão das irregularidades e afrontas às normativas técnicas e legais.

Na Operação Desfalque, a Polícia Federal prendeu dez pessoas, dentre elas, o Sr. José Rainha, que mantinha relacionamento com a Administração anterior, e segundo noticiado, foi responsável pela indicação do Sr. Wellington Diniz. Agora, os mesmos protagonistas atuam para voltar a aparelhar o INCRA/SP, e devem ser denunciados e repudiados pela utilização da reforma agrária para interesses escusos ou falsamente ideológicos. 

Assim, exigimos o fim da interinidade do Superintendente Substituto Alberto Paulo Vásquez, servidor de carreira do INCRA, e sua efetivação como Superintendente Regional. Reconhecemos seu trabalho na condução do INCRA/SP dentro dos princípios da Administração Pública e seu claro compromisso com a reconstrução regimental, técnica e democrática do órgão.

Entendemos que a demora nesta efetivação fragiliza a gestão da Superintendência, prejudicando a consolidação das mudanças necessárias e a execução das políticas públicas de reforma agrária e ordenamento fundiário em São Paulo. 

Cobramos do Governo Federal a coerência com o discurso de valorizar a gestão técnica, de combate às ilegalidades e pelo fim do loteamento político dos órgãos públicos.

Os servidores estão em Assembleia Permanente até o esclarecimento dos fatos, na expectativa da continuidade do processo de resgate institucional do INCRA/SP.

Associação dos Servidores do INCRA/SP (Assincra/SP), Associação dos Engenheiros Agrônomos do INCRA/SP (Assinagro/SP), Sindicato dos Servidores Federais no Estado de São Paulo (Sindsef/SP)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.