PL 2203/11 esconde pegadinha com servidores da Carreira de Ciência e Tecnologia

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os servidores do IPEN/SP (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares) realizam hoje (21) e amanhã (22) uma paralisação de 48h. A decisão foi aprovada, por ampla maioria, durante assembleia realizada na última terça-feira (20).


Os trabalhadores exigem a retirada do artigo 87, do PL 2203/201, que altera a Legislação de Insalubridade, periculosidade e radiação ionizante. O referido adicional passaria a ter, no caso de Insalubridade, valores fixos nos graus mínimo, médio e máximo de R$ 100, R$ 180 E R$ 260, respectivamente e R$180 no caso de Periculosidade. Mas com os servidores que recebem valores superiores a esses, como é o caso do IPEN/SP, a diferença passa a ser recebida como Vantagem Pessoal.


Entretanto, ao ler detalhadamente o PL a coisa é pior. O valor dessa “Vantagem Pessoal” passa a ser  reduzida  gradativamente, conforme o  servidor  tiver  promoção, progressão ou qualquer reajuste salarial. Assim, com o tempo, essa “vantagem” se transforma em nada.


Vale lembrar, que em nenhum momento durante as negociações foi mencionada estas mudanças. O governo, não contente com o reajuste aplicado, resolve desferir um golpe ainda mais letal.


A categoria decidiu pela paralisação com o objetivo de pressionar o governo a retirar do PL 2203/2011, este artigo que traz prejuízo aos servidores da Carreira de Ciência e Tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.