Reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

Nos dias 11 e 12 de fevereiro ocorre a primeira reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas – Central Sindical e Popular, deste ano. O encontro será em São Paulo, no Auditório do SIMPEEM (Sindicato dos Professores em Educação do Ensino Fundamental) localizado na Rua Guaporé, 240, próximo à estação de Metrô Armênia – Bom Retiro.
No sábado (11), a atividade inicia com debate sobre a situação política e econômica no Brasil e no mundo a partir da crise econômica que se instaurou desde 2008.
Foram convidados para falar sobre o tema: Plínio de Arruda Sampaio Jr., professor da Universidade Federal de Campinas (Unicamp) e economista; André Ferrari, membro do Comitê por uma Internacional dos Trabalhadores (CIO/CIT); e Daniel Romero, economista do Ilaese (Instituto Latino Americano de Estudos Socioeconômicos).
Na parte da tarde entra em pauta a desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP) e o aumento da criminalização dos movimentos.
No mesmo dia será apresentada a prestação de contas da Central pelo Conselho Fiscal. Em seguida começa a reunião dos setoriais de trabalho.

1° Congresso da CSP-Conlutas
A preparação do 1º Congresso da CSP-Conlutas será discutida no domingo (12). Nesta parte da reunião serão dadas informações sobre as taxas, definição dos prazos para as entidades estarem em dia com a tesouraria da Central, novas filiações, forma de eleição dos delegados dos setores de juventude e movimentos de luta contra as opressões, programação do Congresso e propostas de mudanças estatutárias.
Ao final serão apresentados os informes dos setoriais e a votação das resoluções e moções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.