Servidores da AGU intensificam as mobilizações pelo Plano de Carreira

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Enquanto a AGU (Advocacia Geral da União) comemora 20 anos, os servidores do órgão protestam contra a falta de um Plano de Cargos e Salários (PCS).
Uma enquete veiculada no site institucional foi recebida como provocação pelos funcionários, uma vez que a proposta colocada em votação deixa de fora quem busca, há duas décadas, a criação de um PCS.
Os servidores de São Paulo argumentam, que todos os que efetivamente se encontram trabalhando na AGU estão excluídos deste plano, já que foi feito para aqueles que entrarão na carreira somente a partir de 2015 através de concurso público.
A luta que se arrasta desde a criação do órgão, é pela criação de um plano de cargos e salários que englobe todos os atuais servidores, divididos entre os cargos de técnicos e de analistas, fixando valores de remuneração condizentes com as atribuições e responsabilidades de cada cargo, visando eliminar as discrepâncias que hoje dificultam o desempenho da AGU. Além disso, estabelecer recompensas e perspectivas de desenvolvimento profissional.
Na próxima terça (29/10), acontece uma paralisação parcial na sede da AGU/SP. O objetivo é não deixar passar em branco o Dia do Servidor Público, comemorado em 28 de outubro. Na ocasião os servidores realizarão uma agitação na entrada do prédio para cobrar respeito e valorização do serviço e do servidor público, além do plano de carreira já!
Em seguida, o Sindsef-SP promove uma palestra sobre as consequências da criação da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (FUNPRESP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.