Servidores da carreira de C&T e do IPEN fazem paralização de 24 horas

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os servidores da Carreira de Ciência e Tecnologia, do IPEN (Instituto de Pesquisas Energética e Nucleares) no estado de São Paulo, farão uma paralisação de 24 horas, amanhã, 05 de julho. A atividade faz parte da Campanha Salarial Unificada dos Servidores Públicos Federais.
No mesmo dia acontece um ato público na frente Fundacentro, que contará com a participação de servidores das diversas categorias do funcionalismo no estado de São Paulo. A Mobilização será das 11h às 13h. Está previsto uma assembleia para este horário, onde serão dados informes sobre a negociação na carreira de C&T.
O objetivo é pressionar o governo a negociar efetivamente com as categorias que estão em campanha por melhores condições de trabalho, por reposição salarial, contra as mediadas que retiram direitos dos trabalhadores, contra o assédio moral e por um serviço público de qualidade.

Fórum de C&T

O Fórum de C&T se reuniu com Duvanier Paiva, da Secretaria de Relações do Trabalho do MPOG, no último dia 15, em Brasília. Durante este encontro foi entregue a Tabela Salarial da Carreira de C&T.
O Secretário Duvanier ficou de avaliar a proposta e dar respostas na próxima reunião, agendada para o dia 6 de julho, considerando o prazo limite de envio pelo governo do orçamento para 2012 ao Congresso no mês de julho.

Campanha Unificada

Nesta data também está prevista uma negociação entre as entidades representativas dos servidores públicos federais e o Ministério do Planejamento, em Brasília, quando o governo federal responderá sobre a pauta unificada do funcionalismo.
Apesar das mesas de negociações, o governo federal vem se articulando para aprovar projetos que retiram direitos históricos do funcionalismo. O governo não recuou em nenhuma das medidas que estavam tramitando no congresso desde o início das negociações. Querem acabar com o direito de aposentadoria integral, congelar os salários até 2019. Além impor as avaliações periódicas de desempenho, que podem levar à demissão.
No último dia 16 de junho, os servidores federais estiveram em Brasília para a 3ª Marcha dos SPFs. Cerca de 8 mil trabalhadores de todo o país fizeram uma caminhada da Catedral até o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, para exigir que o governo negocie de verdade com os trabalhadores. Durante a manifestação uma comissão entregou ao Secretário de Relações do Trabalho, Duvanier Paiva, um relatório exigindo avanço nas negociações.
O Sindsef-SP participou dos protestos com mais de 50 servidores.O ato também contou com a expressiva participação dos professores estaduais, trabalhadores do Correios, MUST e estudantes de diferentes estados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.