Servidores do judiciário federal cruzam os braços

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Assembleia do judiciário, 14 de junho

Amanhã, 21/06, vai haver paralisação no judiciário federal. Os servidores vão avaliar no final do dia se seguirão em greve por mais 24 horas.

Diante da falta de negociação por parte do governo, em assembleia estadual realizada em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral, a categoria deliberou cruzar os braços pela segunda vez em junho, após o encerramento da paralisação de 48 horas, no dia 14.

“Negociação sem proposta, sem prazo e sem data, não é negociação, é blefe”, definiu Ana Luiza Figueiredo, diretora licenciada da Fenajufe. Para ela, só haverá negociação se a categoria for à greve e “enfrentar o governo”.

A recente atividade de mobilização contou com forte adesão dos servidores do TRE. Segundo informações do Sintrajud, em muitos andares do prédio só as chefias não participaram.

Na última assembleia dos servidores do judiciário, todas as falas indicaram que a categoria precisa construir a greve por tempo indeterminado e foi ressaltado que o desafio é apressar o calendário para unificar as lutas.

 

Com informações do Sintrajud

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Avaliação acerca da compatibilidade da deficiência do candidato com as atribuições do cargo deverá ser realizada durante estágio probatório

A 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) reformou a sentença para garantir o direito de um candidato ao cargo de policial rodoviário federal, aprovado na condição de pessoa com deficiência (PcD), a permanecer no concurso, caso tenha sido aprovado em todas as etapas do certame, e que a União determine a nomeação e posse da parte autora, no prazo de 60 dias.