Servidores do MTE conquistam implantação da jornada de 30 horas para o atendimento

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Depois de quatro idas e vindas do processo do Sindsef-SP que trata das 30 horas nos setores de atendimento, o Gabinete do Ministro publicou a portaria nº 861, de 19/06/2013, no Diário Oficial da União de 20/06/2013, que regulamenta o regime de turno ininterrupto de 12 horas diárias (turnos de 6 horas).

O requerimento do Sindsef-SP sobre o tema foi um dos primeiros no país a ser protocolado, em 23 de março de 2012, sob o número 46219.007717/2012-70. No entanto, a regulamentação demorou a sair. Enquanto isso, a jornada de 30 horas já ocorria em vários outros estados, como RJ, MG, GO, MS, SE e PR.

O processo já se encontrava no Gabinete do Ministro, e, repentinamente, foi movimentado pela Coordenadoria Geral de Recursos Humanos (CGRH), com despacho assinado pelo Coordenador, Luiz Eduardo, para a SRTE/SP. No mês passado, o superintendente devolveu para Brasília concordando com os dois turnos de 6 horas nos setores de atendimento ao público. Enfim o resultado saiu e foi uma vitória para a categoria.

A luta segue para que essa conquista se estenda a todos os servidores. O sindicato vai convocar uma assembleia para discutir os próximos passos para que isso ocorra e a suspensão do registro eletrônico de ponto (REP). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.