Setorial LGBT da CSP-Conlutas participa da Parada Gay paulista

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Parada gay

A 16ª edição da Parada Gay de São Paulo reuniu, no último domingo, 10/06, gente de diversos estados do país e do mundo. De acordo com o Datafolha, 270 mil pessoas participaram da manifestação, 65 mil delas fizeram o percurso inteiro da Avenida Paulista ao lado do Arouche.

Por meio do setorial LGBT, a CSP-Conlutas e militantes de sindicatos, inclusive do Sindsef-SP, participaram da atividade que teve o mesmo tema da III Marcha Nacional Contra a Homofobia: “Homofobia tem cura: educação e criminalização”, realizada em Brasília-DF, no dia 16/05.

A presença da Central na Parada dá continuidade à sua campanha de combate ao avanço da violência contra gays, lésbicas, travestis, transgêneros e transexuais, por direitos iguais e também denuncia a postura desrespeitosa do Governo Dilma, que cede aos caprichos da bancada homofóbica no Congresso Nacional em detrimento ao bem estar da comunidade.

 

Exigimos:

  • Aprovação imediata do PLC 122 com criminalização ABRANGENTE da homofobia:

– na agressão verbal

– na agressão física

– na repressão das manifestações públicas de afeto

– no discurso de ódio

– na incitação ao ódio

– com penas de 2 a 5 anos (equivalentes às do crime de racismo)

  • Pelo Ensino Laico e Estado Laico de Fato!
  • Fim do assédio moral e sexual!
  • Por uma sociedade sem machismo, racismo e homofobia e sem exploração!
  • Por um movimento LGBT combativo, classista e independente dos governos e patrões!

 

Com informações da CSP-Conlutas e Datafolha

Foto: Folha.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.