Sind Dicas: Três interessantes festivais de cinema

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram
As dicas desta semana são três interessantes festivais de cinema: 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino, 1ª Mostra Embaúba Play e Festival Estação Virtual. Saiba mais!
A 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino ocorre de 19 de maio a 25 de junho de forma on-line e gratuita. São mais de 40 filmes disponíveis, entre curtas, médias, longas-metragens de ficção e documentários. Questões políticas, críticas sociais, conflitos familiares e utopias são retratados pelas obras. Para assistir, basta acessar o site (www.cinemaarabefeminino.com/programacao), fazer um registro simples usando o seu e-mail ou rede social.
“Nesta edição, reunimos filmes que se lançam como fissuras, territórios de luta e espaços de existência. Filmes que existem entre outros filmes, dialogando em rotas de colisão ou de repulsão, mas permanecendo sempre em movimento, criando conexões e ressignificações. Filmes que existem como seres orgânicos, inseridos em corpos neste espaço sem fronteiras que é nossa capacidade de imaginação. Filmes como universos expandidos, possibilidades de terrenos celestes para plantar novas existências e resistências”, afirma a Equipe Mostra de Cinema Árabe Feminino.
Já a 1ª Mostra Embaúba Play ocorre até 12 de junho e também traz filmes gratuitos e exibidos on-line pelo site https://embaubaplay.com/colecoes/. Segundo a Embaúba Filmes, “a curadoria aposta em filmes que fogem do óbvio, que investem em novas narrativas, que se destacam pela ousadia, pela experimentação, pela forma como lidam com a linguagem cinematográfica e que tratam de questões urgentes de nossos tempos, levando-nos a refletir sobre o nosso país, sobre a nossa sociedade, sobre a nossa existência”.
Outra opção é o Festival Estação Virtual com 156 vídeos disponíveis até 31 de maio, que visa homenagear o Cinema Brasileiro. Para assistir, acesse: https://vimeo.com/estacaovirtual. “Muitos filmes importantes foram feitos neste período, muitas obras surpreendentes, ideias e talentos surgiram.
Exibimos tudo isso, vivemos este fluxo junto com os produtores, distribuidores e o público. Vimos as estruturas de apoio ao cinema nacional desaparecerem irresponsavelmente no governo Collor e serem reconstruídas com muita luta e garra nas décadas seguintes. Participamos desta luta. E acreditamos que não só é importante olhar para a cinematografia deste período como um conjunto, como vai ser uma experiência boa e alegre para todos que acompanharem o festival”, acreditam os organizadores.
Contribuição do Coletivo de Comunicação do Sindsef-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.