Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 1

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

A Primavera de Praga é um acontecimento tão fascinante como pouco conhecido. Foi um breve esboço do que poderia ser o socialismo num país avançado. Nas palavras do romancista tcheco Milan Kundera, foi um “segundo soberbo”. A magia daquela primavera pode ser apreciada nos filmes da época, que ficarão disponíveis na plataforma de streaming gratuita do Centro Cultural São Paulo (CCSP), entre 15/12/2022 e 15/01/2023.

A mostra Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 1 é uma oportunidade para apreciar o perfume libertário e zombeteiro da Primavera de Praga.

Cena do filme “As Pequenas Margaridas” (divulgação)

Věra Chytilová foi uma cineasta tcheca que deixou pérolas como As pequenas margaridas, filme que estará disponível na mostra on-line do CCSP. A Nouvelle Vague Tcheca foi um movimento cinematográfico integrado por Věra Chytilová, Milos Forman, entre outros. Vale a pena conferir.

Coletivo de Comunicação do Sindsef-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.