SPFs aprovam pauta da campanha salarial unificada e calendário de mobilizações

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

A Reunião Ampliada dos servidores públicos federais , realizada em Brasília, nos dias 31/01 e 01/02, contou com a participação de aproximadamente 400 servidores, representando diversos setores do funcionalismo. Os participantes aprovaram os eixos da campanha salarial unificada de 2015 e o calendário de mobilizações.

Uma palestra sobre análise de conjuntura abriu os trabalhos.  A apresentação ficou a cargo do representante da CSP-Conlutas, Paulo Rizzo. Ele destacou que apesar dos ataques do governo a classe trabalhadora está reagindo. “Com lutas contra as demissões nas montadoras, contra o reajuste da tarifa do transporte público e também com Dia Nacional de Lutas Organizado pelas centrais sindicais em 28 de janeiro”, destacou.

Na avaliação do Secretário Geral do Sindsef-SP, Ismael Souza, “Unificar a luta dos federias neste momento, não é uma mera escolha e sim uma necessidade, não só do nosso setor, mas de todos os trabalhadores. É tempo de entendermos que temos um inimigo comum, que são os governos federal, estaduais e municipais, e eles não nos darão trégua.  Vamos seguir lutando e fazendo um chamado para aqueles que ainda insistem em defender o governo do PT que rompam e tomem lugar nesta luta!”.

Para o membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Paulo Barela, o evento foi extremamente positivo e superou todas as expectativas por se tratar de um período de férias. “Em função das medidas que o governo adotou no último período, principalmente as MP’s 664 e 665 e os cortes no orçamento, que atingem profundamente a educação a participação na atividade acabou sendo bem mais ampla, com aproximadamente 400 pessoas, o que coloca uma perspectiva de luta no funcionalismo público muito clara”.

Eixos da campanha salarial unificada:

– Política salarial permanente com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias;
– Índice linear de 27,3%;
– Data-base 1 de maio;
– Direito de negociação coletiva (convenção 151 OIT);
– Paridade Salarial entre ativos e aposentados;
– Retirada dos projetos do congresso nacional que atacam os direitos dos servidores;
– Aprovação imediata dos projetos de interesse dos servidores;
– Isonomia salarial e de todos os benefícios entre os poderes;
– Anulação reforma da previdência realizada através da compra de votos dos parlamentares;
– Extinção do fator previdenciário;
– Incorporação de todas as gratificações produtivistas;
– Fim da terceirização que retira direito dos trabalhadores;
– Concurso público pelo RJU;
– Combate a toda forma de privatização;
– Pela aprovação da PEC 555/06 que extingue a cobrança previdenciária dos aposentados;
– Pela aprovação do PL 4434 que recompõe as perdas salariais;
– Regulamentação da jornada de trabalho para o máximo de 30 horas para o serviço público, sem redução salarial;
– PEC 170/2012 – aprovação de aposentadoria integral por invalidez;
– Liberação de dirigentes sindicais com ônus para o estado, sem prejuízo as promoções e progressões na carreira;
– Pela revogação do FUNPRESP e da EBSERH.

Calendário:  

02/02 – Ato no Congresso Nacional – às 13H 3 A 7/02 – Rearticulação nos estados do Fórum dos Servidores Públicos Federais;  

25.02: Ato de lançamento da campanha salarial 2015 no MPOG (Bloco K), com concentração às 9h/ Dia Nacional de luta com atos, assembleias e paralisações nos estados;

06/03: Ato nacional no Rio de Janeiro e nos estados contra a privatização do SUS e a EBSERH;

Março : Jornada de Luta nos estados, com discussão sobre indicativo de greve. 07, 08 e 09 de abril: Jornada nacional de Lutas, em Brasília com discussão sobre indicativo de greve dos SPFs.  

Com informaçoes do Sindtest-PR e da CSP-Conlutas

 

Foto: Andes-SN


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.