Trabalhadores da Cultura desocupam Funarte mas mobilização continua

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Os trabalhadores da cultura desocuparam, na última segunda-feira, 1º de agosto, o prédio da Funarte, no centro de São Paulo. Com o lema “É Hora de Perder a Paciência!”, eles ocuparam a sede da Fundação durante seis dias para exigir maiores investimentos na arte e na cultura no país.

Depois de deixarem o prédio, integrantes do Movimento dos Trabalhadores da Cultura (MTC), fizeram uma caminhada até a Avenida Paulista e realizaram um ato em frente ao Itaú Cultural. Formado por diversos grupos culturais do Estado nas áreas do teatro, circo, música entre outros, eles deram continuidade ao protesto, com muita música e encenações.

Os artistas não estão se contrapondo aos servidores públicos do órgão nem ao conjunto dos trabalhadores da Cultura. Durante anos buscaram o caminho da negociação por maiores investimentos para a área cultural, mas estão cansados com a enrolação do Governo Federal. O MinC, através da Funarte/SP, tentou neutralizar o movimento abrindo as portas para que a ocupação consentida ocorresse, mas sem nenhum respeito à luta destes artistas e sem qualquer intenção em atender as reivindicações pleiteadas.

A categoria luta por: programas estabelecidos em leis com orçamentos próprios, que estruturem uma política cultural contínua e independente; imediata aprovação das PEC 236, que prevê a cultura como direito social e PEC 150, que garante que o mínimo de 2% (40 bilhões de reais) do orçamento geral da União seja destinado à Cultura (hoje, são destinados apenas 0,2%); Imediata publicação dos editais de incentivo cultural que foram suspensos e descontingenciamento imediato da pequena verba destinada à Cultura.

Nós, do SINDSEF-SP, expressamos nossa solidariedade ao movimento dos Artistas de São Paulo. Vamos juntos exigir do Governo Federal mais verbas para a Saúde, Educação, Cultura, Reforma Agrária e todos os serviços públicos na Marcha dos Indignados que faremos a Brasília no dia 24 de agosto!

LUTAR É PRECISO. VAMOS MARCHAR UNIDOS
PARA MOSTRAR A NOSSA INDIGNAÇÃO
E JUNTOS EXIGIR O ATENDIMENTO DAS NOSSAS REIVINDICAÇÕES!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.