Trabalhadores entram em greve no Reino Unido

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

 

Mais de dois milhões de trabalhadores britânicos do setor público deflagraram greve nesta quarta-feira (30) contra o violento ataque do governo ao sistema de pensões, emprego, salários e serviços públicos. Estima-se que esta foi a maior greve organizada em décadas no Reino Unido.

Professores, equipes médicas, guardas de fronteiras, entre outros profissionais, protestaram contra as reformas trabalhistas feitas pelo governo de David Cameron.

Segundo os sindicatos britânicos, que se uniram para a greve, as medidas do governo farão os funcionários públicos trabalhar mais antes da aposentadoria, contribuir mais com o sistema previdenciário, mas receber uma quantidade menor de benefícios.

 

GRÉCIA

Os trabalhadores da Grécia prometem para hoje (1º) um dia de paralisação geral por 24 horas. O lema do movimento é “Não ao Orçamento de Rigor e Aproxima-se a Hora da Verdade”. Será a 15ª greve geral no país nos últimos dois anos – a mais recente paralisação foi nos dias 19 e 20 de outubro. É a primeira mobilização nacional durante o novo governo do primeiro-ministro Lucas Papademos.

O objetivo é protestar contra o pacote de austeridade que o governo grego pretende adotar no país. Pelas medidas, devem ser cortados salários e benefícios, reduzidos os postos públicos e reajustados os impostos e tarifas públicas.

 

 

Com informações do Portal R7 e Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.