Governo Dilma é denunciado a OIT por práticas antissindicais

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

Depois de apostar na forma ditatorial para conduzir as negociações com os servidores públicos federais, em greve há mais de dois meses, a postura intransigente da presidente Dilma está posta a prova.

Segundo matéria publicada no jornal Valor Econômico, edição do dia 10 de agosto, Dilma recorreu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo ajuda nas negociações com os grevistas (leia na íntegra).

A mobilização começou com os docentes das faculdades federais, se espalhou pelo executivo e atingiu o judiciário e o legislativo. Sem expectativa de negociações concretas, cada vez mais setores aderem ao movimento nacional e paralisam suas atividades. Sem dúvida, esta já é a maior greve do funcionalismo no governo do PT.

A greve nacional é resultado da desvalorização que os servidores públicos federais vem acumulando desde o governo de Fernando Henrique, seguido pelo governo do PT. Em anos anteriores o movimento foi boicotado por setores governistas.

Desta vez, a falta de diálogo da presidente e a pressão exercida pela base forçaram a Central Única dos Trabalhadores (CUT) a radicalizar. No último dia 09, CUT, Condsef  e demais entidades representativas dos servidores federais se uniram para formalizar uma denúncia na OIT (Organização Internacional do Trabalho) contra as práticas antissindicais do governo Dilma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.