Sindsef participa de renião com superintendente da GEAP/SP

COMPARTILHE

Compartilhe emfacebook
Compartilhe emtwitter
Compartilhe emwhatsapp
Compartilhe emtelegram

O Sindsef-SP participou da reunião entre o Conselho Estadual de Representantes da Geap/SP, realizada em 26 de fevereiro. Na pauta informes sobre a situação da Fundação.

Durante a reunião circulou uma nota informando as mudanças no gerenciamento e o atual cenário financeiro da organização. Segundo a nota, em quatro meses a GEAP conseguiu reduzir em 35% o déficit da empresa, passando de 400 milhões para 260 milhões.

Roberto Godinho, atual superintendente da GEAP/SP, reafirmou seu compromisso de sanear os débitos junto aos prestadores de serviço e o de restabelecer a rede de credenciados. Segundo ele, em São Paulo “não existe débitos com mais de 120 dias”, afirmou.

Questionado sobre a parceria da Fundação com planos de saúde privado, como a Unimed, argumentou que “este é um mal necessário”, pois nas regiões onde existem as reclamações dos assistidos diminuíram visivelmente.

De acordo com Marcelo, funcionário da Geap, existe cerca de 50 mil assistidos no estado de São Paulo e o repasse per capita é de R$ 170,00, gerando uma receita em torno de R$ 8.500 milhões, sendo que as despesas totalizam 12 milhões mensais.

Os representantes exigiram maior transparência, eficiência na prestação de contas e uma apresentação dos balancetes para o conjunto dos beneficiários, que pagam mensalmente o plano de saúde.

Apesar do novo cenário divulgado pela GEAP, os assistidos permanecem sofrendo com a precariedade do atendimento, com o descredenciamento de hospitais e dos prestadores de serviços, seja no interior ou na capital.

O Sindsef-SP e o Sinsprev/SP irão organizar um seminário para definir políticas de atuação para o próximo período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Notícias

Curtas Jornadas Noite Adentro

Vale a pena conferir o longa Curtas Jornadas Noite Adentro, de Thiago B. Mendonça, que estará disponível na plataforma on-line do Sesc até 25.02.2023.

Věra Chytilová e a Nouvelle Vague Tcheca – Parte 2

Os grandes acontecimentos políticos reverberam nas artes, influenciam e são influenciados pelos artistas. A Nouvelle Vague Tcheca é um exemplo. Foi um movimento de cinema diferente, radical e inseparável da Primavera de Praga, aquele “segundo soberbo”, na definição do escritor Milan Kundera.

Crítica: HOLY SPIDER (Aranha Sagrada)

Pré-selecionado ao Oscar, filme aborda caso real de serial killer que foi celebrado por matar mulheres no Irã. Conhecido como Spider Killer, o assassino acredita estar numa missão espiritual de limpar as ruas do pecado.